Nordeste Rural | Homepage


Uma nova semente de algodão mais produtiva e resistente ao ataque de pragas

🕔13.Maio 2021

A mais nova cultivar de algodoeiro transgênico desenvolvida pela Embrapa – BRS 500 B2RF – alia alta produtividade à resistência às principais doenças, com destaque para a mancha de ramulária e o nematoide-das-galhas, dois sérios problemas enfrentados hoje pelos cotonicultores. A mancha de ramulária, causada pelo fungo Mycosphaerella areola, atualmente é considerada a principal doença do algodoeiro no País, demandando em torno de oito pulverizações de fungicidas por safra em cultivares mais suscetíveis ao patógeno.

Já o nematoide-das-galhas (Meloidogyne incognita) é uma doença de difícil controle. A praga parasita as raízes de diversas culturas e no algodoeiro compromete a produtividade da pluma em até 40%. O melhor método de controle dos nematoides é o uso de culturas e cultivares resistentes ou tolerantes.

Uma alternativa para o manejo desses problemas, a BRS 500 B2RF, é indicada para cultivo na região do Cerrado, onde a ocorrência da mancha de ramulária é prevalente, ou em áreas com incidência de nematoide-das-galhas. Levantamentos recentes realizados nos dois principais estados produtores de algodão detectaram infestação com esse nematoide em 25 % das áreas amostradas no Mato Grosso e em 37 % na Bahia. Os dados são do Instituto Matogrossense do Algodão (IMAmt), Embrapa Algodão, Fundação Bahia, Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e Instituto Brasileiro do Algodão (IBA).

Além da alta resistência à mancha de ramulária e resistência parcial ao nematoide-das-galhas, a cultivar BRS 500 B2RF também é resistente à principal virose da cultura no Brasil, conhecida como doença azul típica, e à mancha angular.

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE