Nordeste Rural | Homepage

Os cavalos também podem ser acometidos de úlceras gástricas

🕔20.out 2020

As úlceras gástricas são muito comuns em cavalos e pode afetar animais de qualquer idade. Isso acontece porque a secreção de ácido gástrico é contínua no estômago dos equinos, diferente da maioria das outras espécies que ocorre com o estímulo alimentar. Por isso, é recomendado que comam porções pequenas e frequentes de ração e ter volumoso disponível à vontade durante todo o dia. Longos períodos de jejum são a principal causa das gastrites, precursoras das úlceras gástrica.

Há outras razões que podem fazer desencadear a doença como: estresse físico, confinamento, transporte e uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINEs). “O importante é que o criador e/ou tratador fique atento a qualquer comportamento alterado do animal. Caso ele apresente qualquer um destes sintomas como pouco apetite, perda de peso, agitação, mudanças de atitude e relutância em treinar, brincar com água, passar tempo excessivo deitado, desconforto abdominal, procure imediatamente um veterinário. Em casos mais graves, o animal pode ranger os dentes e apresentar cólicas mais severas. Nos potros, os sinais mais perceptíveis são a cólica após mamar ou comer, falta de apetite e salivação excessiva”, alerta a médica veterinária e supervisora técnica de Equinos da Guabi, Claudia Ceola.

Algumas recomendações para evitar as úlceras gástricas em Cavalos: Alimentá-los com frequência, pois isso ajuda a reduzir os efeitos deletérios do ácido no estômago vazio e estimula a salivação. Reduzir a quantidade de grãos concentrados e aumentar o feno de alfafa à dieta. Evite ou diminua o uso de anti-inflamatórios. Permita sempre que o cavalo socialize ou veja outros cavalos para minimizar seu estresse. É importante deixar o cavalo ter acesso livre à pasto ou feno. Ficar solto o máximo de tempo possível.

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE