Nordeste Rural | Homepage


O valioso mercado brasileiro de frutas

🕔14.dez 2019

pé de mangaAs frutas brasileiras mais exportadas em 2017, de acordo com o Anuário da Fruticultura daquele ano, foram a manga e o melão, na primeira e na segunda posição, com os respectivos valores de US$ 205,111 milhões e US$ 162,916 milhões, de acordo com dados do sistema Agrostat, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Internamente, o volume comercializado da fruta cresce todos os anos, enquanto os embarques somam recordes de exportação, tanto em volume quanto em receita. Embora seja produzida em todo o território nacional, a manga concentra-se em especial no Nordeste. O maior produtor é a Bahia, com 21.370 hectares de área colhida da fruta e volume de 353.689 toneladas.

A região do Vale do Rio São Francisco é o principal polo frutícola do País, em especial de mangas das variedades Tommy Atkins, Kent, Palmer e Keitt. Em 2009, por suas uvas de mesa e manga de qualidade diferenciada, recebeu do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) o selo de Indicação de Procedência, requerido pelo Conselho da União das Associações e Cooperativas dos Produtores de Uvas de Mesa e Mangas do Vale do Submédio São Francisco (Univale).

Segundo dados da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), o Vale do São Francisco é responsável por 90% da manga brasileira exportada e gera 200 mil empregos diretos. “De janeiro a setembro de 2018, as exportações totais de manga somaram US$ 93,43 milhões. Dos 93 mil hectares plantados em 2017, 35.630 hectares produzem manga”, informa Eduardo Brandão, da Abrafrutas.

O volume de mangas destinadas à União Europeia foi significativamente maior no primeiro semestre de 2019, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). De janeiro a junho, o volume embarcado foi de 69,7 mil toneladas, aumento de 57,6% em relação ao mesmo período de 2018. Em receita, o montante somou US$ 48,9 milhões, incremento de 53,8% na mesma comparação. Os maiores compradores das frutas brasileiras foram Holanda, Espanha, Reino Unido e Portugal. Somados, esses países respondem por 98,9% do total embarcado.

 

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE