Nordeste Rural | Homepage


Criação de bovinos dá mais lucro quando fica livre das principais doenças que atacam o rebanho leiteiro

🕔11.jan 2015

rebanho leiteiro“A sanidade dos rebanhos é um dos principais pontos para o sucesso da produção de leite”, lembra o pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Amaury Apolônio Oliveira. Por isso, é importante que o produtor tenha muita atenção e cuidados para as principais doenças dos bovinos leiteiros pois esses tipos de enfermidades que atacam esses rebanhos podem provocar sérios prejuízos ao pecuarista.

Amaury alerta os produtores para a existência de programas estaduais de controle de algumas doenças, lembrando que é preciso estar atento para seguir o que tais programas exigem. O pesquisador exemplifica: “A febre aftosa é uma doença de grande repercussão econômica, inclusive internacional, e o governo tem um programa específico para ela. Há também um programa de controle da tuberculose, da brucelose, porque são doenças que podem ser transmitadas para o homem.

O pesquisador também dá orientações para o tratamento de algumas doenças, como as verminoses e a tristeza parasitária. Para controlar as verminoses o produtor deve manter um programa de vermifugação que preveja pelo menos quatro vermifugações, três no período seco e uma no período chuvoso. “Além disso, ele pode fazer as vermigugações táticas que são aquelas feitas em animais adquiridos, nos que mostrem sintomas de verminose e naqueles que são separados das mães”, completa Oliveira.

Quanto à tristeza parasitária a principal recomendação é dar banhos carrapaticidas nos rebanhos frequentemente. “No período seco deve-se dar de cinco ou seis desses banhos e no período chuvoso, dois ou três”, orienta o pesquisador. Este controle permite que o rebanho esteja mais preparado para enfrentar a presença dos carrapatos nas fases mais críticas do ano, épocas com a presença de umidade e calor.

 

 

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE