Nordeste Rural | Homepage

Crescimento positivo para o Setor de Alimentação Animal

🕔24.dez 2020

A projeção para encerrar 2020 é de um crescimento em torno de 5% e produção total de 81,1 milhões de toneladas de rações e sal mineral. A informação é do Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal – Sindirações. Segundo o levantamento apurado pela cadeia produtiva de rações, contabilizado até setembro, registrou um crescimento de 4,7% comparado ao mesmo período do ano anterior. Mesmo com menor ritmo, após totalizar 5,2% ao final do primeiro semestre, o resultado ainda é surpreendente, com projeção de encerrar o ano mantendo crescimento de quase 5% e uma produção total de 81,1 milhões de toneladas de rações.

Levanto em consideração o ano atípico por causa dos prejuízos provocados pela pandemia, a indústria de alimentação animal, está comemorando. Após surpreendente resultado de 5,2% de crescimento no primeiro semestre, a cadeia produtiva de rações reduziu ligeiramente o ritmo no saldo ao término do Q3, resultado que pode se manter até o encerramento do ano. Enquanto de julho a setembro, fora percebida alguma diminuição no ritmo. Muito embora, a relativa diminuição dos embarques para a China e, sobretudo, o corte pela metade do auxílio emergencial possam determinar menor ritmo, o maior desejo pela proteína animal por conta das ceias celebradas no Natal e virada de ano podem redundar em avanço de quase 5%, ou seja, na demanda de mais de 81 milhões de toneladas de rações e sal mineral.

“É importante salientar também que o elevado custo de produção, resultado do milho, do farelo de soja e outros insumos importados, com preços internos inflados pela desvalorização cambial, invariavelmente influencia o interesse por alojar e confinar, ou mesmo reter ou abater animais mais precocemente e descartar aqueles menos produtivos, combinações tentativas para contenção das despesas, diante da flagrante corrosão da rentabilidade e em comparação aos preços recebidos pelos produtores que comercializam carnes, ovos e leite, predominante ou exclusivamente no mercado doméstico”, analisa Ariovaldo Zani, CEO do Sindirações.

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE