Nordeste Rural | Homepage

Cresce a produção de algodão agroecológico no nordeste

🕔02.jan 2015

algodão agroecologicoDesde 2006, no Estado da Paraíba, pesquisadores da Embrapa Algodão juntamente com produtores, estão produzindo o algodão agroecológico. O projeto, desenvolvido no assentamento de Queimadas, município de Remígio, começou com 18 famílias e atualmente conta com mais de 50. A iniciativa valoriza o conhecimento dos produtores, que acrescentam às descobertas da pesquisa a experiência acumulada ao longo de anos trabalhando com lavouras de algodão. Muitos deles encontram meios naturais de enfrentar pragas e doenças, que é justamente o princípio do cultivo agroecológico.

Aliando produtividade com a preocupação de preservar o meio ambiente, pequenos produtores do sertão da Paraíba já estão adotando o algodão agroecológico como novo modelo de produção. Nesta forma de cultivo, o produtor dispensa completamente os agrotóxicos e adubos químicos, o que é vantajoso e gratificante, pois contribui para a preservação do meio ambiente e da saúde dos trabalhadores.

Segundo o pesquisador da Embrapa Algodão, Melchior Batista, a idéia do cultivo agroecológico é permitir a convivência da planta com as pragas, inclusive com o bicudo do algodoeiro, a principal desta cultura. Para o agrônomo José Sales Júnior, diretor-presidente da organização não-governamental Arribação, ONG parceira da Embrapa no projeto de cultivo do algodão agroecológico “O importante neste projeto é que ele chega para valorizar o que já está sendo feito pela comunidade, como as experiências em relação aos espaçamentos, à época de plantio e a convivência com o bicudo”, afirma.

 

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE