Nordeste Rural | Homepage
[slide-anything id="14145"]

Aprenda a combater a podridão-negra-do-abacaxizeiro

0 Comments 🕔04.Maio 2021

A abacaxicultura se destaca no cenário nacional por sua alta produtividade e pela qualidade dos frutos, mas um dos graves problemas enfrentados pela cultura é a podridão-negra-do abacaxizeiro, causada pelo fungo mais conhecido como Chalara. O pesquisador Rêmulo Araújo, da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa), recomenda o uso da cal como método alternativo para o combate da podridão-negra-do-abacaxizeiro.

Segundo o pesquisador, o fungo causador da podridão negra pode penetrar na fruta pelo corte do pedúnculo –  talo que sustenta o fruto, por ferimentos causados na retirada de mudas ou durante o transporte e armazenamento da fruta. “Os sintomas são lesões escuras na base do fruto que progridem rapidamente até a coroa do abacaxi”, destaca Araújo.

Para evitar o fungo, são recomendadas medidas do tipo: evitar ferimentos no abacaxi durante a colheita ou transporte; colher o abacaxi com uma parte do pedúnculo, cerca 2 centímetros, preso ao fruto. Além disso, a área da colheita deve ser mantida limpa, sem restos de cultura que servem de fonte de contaminação. O ideal, também, é armazenar e transportar o abacaxi em locais mais refrigerados.

Para prevenir a doença, muitos produtores aplicam fungicidas na base do abacaxi, exatamente no local do corte ou ferimento. Como alternativa ao uso dos fungicidas, a Emepa desenvolveu um método à base de cal. “Como métodos alternativos, estudamos várias barreiras químicas e físicas para tentar impedir a entrada desse fungo, mas só a cal funcionou”, explica o pesquisador.

A dica é adicionar um pouco de água à cal para se obter uma consistência pastosa, como uma paçoca. A pasta deve ser aplicada na base do fruto, exatamente sobre o corte ou ferimento causado durante colheita, transporte ou armazenamento. Não se deve enxaguar o fruto, pois a pasta, quando seca, criará uma barreira química e física que impedirá a penetração do fungo e o desenvolvimento da doença.

 

No Comments

No Comments Yet!

No one have left a comment for this post yet!

Write a Comment

<

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE