Nordeste Rural | Homepage


Artigo: A defesa consciente da bubalinocultura no Brasil

🕔10.ago 2021

Por:

Ricardo Alexandre Silva Pessoa*

 

A bubalinocultura, dentre os diferentes ramos da agropecuária, é sem dúvidas uns dos que mais crescem no Brasil e no mundo. Dentre as espécies de animais ruminantes, a criação de búfalos (Bubalus bubalis) é a que mais cresceu, tendo triplicado a sua participação na pecuária do Brasil nas últimas décadas.

Os bubalinos criados no Brasil se destacam para a produção de carne, atividade que compreende a maior parte do rebanho. Porém, a carne de búfalo embora seja de qualidadenutricional superior a outras carnes, é bastante desconhecida do consumidor, uma vez que esta iguaria é comumente comercializada como se fosse carne bovina. A semelhança sensorial entre as carnes bovina e bubalina resultou no não desenvolvimento da cadeia produtiva da carne bubalina no Brasil e em vários países do mundo. Esta condição permite muitas vezes submeter a espécie de alto valor zootécnico ao invisível, ao desconhecido, quando não ao recebimento de adjetivos que não condizem com a sua alta qualidade nutricional, excelente sabor e maciez, além de ser oriunda de uma espécie que merece peculiar atenção pelas suas virtudes sustentáveis.

A bubalinocultura leiteira, ao contrário da atividade de corte, possui identidade bastante expressiva no Brasil e no mundo. O leite de búfala é uma iguaria merecedora de total admiração. Possui características químicas que lhe proporciona um rendimento inigualável na produção de queijos, iogurtes e outros derivados lácteos. Apresenta composição nutricional superior em termos de energia, proteína, minerais e vitaminas. Os produtos lácteos bubalinos são bastante apreciados na gastronomia pelo seu sabor peculiar e alta qualidade.

Como animal de produção, o búfalo se destaca em capacidade adaptativa aos trópicos. Bastante resistente a ecto e endoparasitas, é pouco acometido por patologias comuns aos animais de produção, possui preferência além de evidente potencial para o aproveitamento de forragens, boa produção leiteira e alto potencial para produção de carne. Docilidade e facilidade para o manejo são características inatas à espécie.

O mercado da bubalinocultura é bastante promissor, principalmente pelo fato de ainda não receberem a merecida atenção por parte da sociedade. Leite e derivados bubalinos geram cifras bilionárias anualmente no Brasil, com alta margem para expansão da comercialização de produtos de alta qualidade. O mercado de carne bubalina representa um dos maiores otenciais para a espécie, dada a diferenciação do produto e ao marcante desconhecimento por parte da sociedade. O mercado de carne bubalina apresenta alto crescimento na Europa e na Ásia.

O Brasil apresenta o maior rebanho bubalino do Ocidente. O desafio maior reside em desnuar a espécie, apresentá-la como se deve à sociedade, uma vez que o alto potencial sustentável e produtivo a natureza já tratou de realizar!

 

*Prof. Dr. Ricardo Alexandre Silva Pessoa

Pós-Graduando em Economia e Desenvolvimento Regional – FUNDAJ

Zootecnista – UFRPE

Mestre em Produção de Animais Ruminantes – UFRPE/UFV

Doutor em Nutrição e Produção de Animais Ruminantes – UFV

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE