Nordeste Rural | Homepage

Observação dos olhos pode ajudar a identificar o tumor maligno em bovinos

🕔25.fev 2019

O diagnóstico precoce de tumor ocular em bovinos evita metástase. A incidência da doença cancerígena está relacionada, principalmente, à exposição solar. Além disso, outros fatores contribuem, como irritação causada por sujeira, areia e insetos, viroses e idade. Doenças oculares em bovinos são mais comuns do que se imagina. Por isso, é importante que os pecuaristas fiquem atentos aos primeiros sinais. O carcinoma de células escamosas, conhecido como tumor da terceira pálpebra, é um dos tumores mais frequentes e ocorre tanto em gado de leite como de corte. Animais despigmentados são mais propícios ao desenvolvimento dessa patologia.

O carcinoma corresponde ao crescimento de um tumor na terceira pálpebra ocular do animal. O tratamento cirúrgico é o mais indicado. De acordo com o veterinário Raul Mascarenhas, da Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos – SP), quanto mais precoce for diagnosticado e removido cirurgicamente, melhor será a recuperação do bovino e menores as chances de metástase, comprometendo outros tecidos da região. “A formação tumoral é proliferativa, erosiva, ulcerada ou com aspecto de couve-flor. Invariavelmente, aumenta de tamanho e se espalha atingindo tecidos ao seu redor em larga extensão da face e provocando constante sensação dolorosa”, explica Mascarenhas.

Uma dica do veterinário é manter sob observação os animais que apresentam pequenas lesões nos olhos, lacrimejam excessivamente e apresentam secreção purulenta. O procedimento cirúrgico é simples com aplicação de anestesia local e retirada do tecido comprometido. A recuperação é rápida e somente requer medicamentos de uso tópico no local.

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE