Nordeste Rural | Homepage

O sorgo já pode ser de pastejo além de ser uma ração com mais proteína e resistente à seca

🕔26.mar 2015

sorgo de pastejoOs pesquisadores conseguiram criar o chamado sorgo de corte/pastejo. É o resultado do cruzamento do sorgo Sudão com o sorgo Bicolor.O sorgo de corte/pastejo é uma planta de rápido crescimento vegetativo e estabelecimento, resistente à seca, que apresenta grande rusticidade e pouca exigência quanto à qualidade de solo, além da facilidade de manejo para corte ou pastejo direto, excelente valor nutritivo e alta produção de forragem. Por essas características, pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas / MG) recomendam seu uso como  opção, nutritiva e de baixo custo, para o fornecimento de forragem fresca ao gado bovino.

Segundo o pesquisador José Avelino Santos Rodrigues, nas fazendas brasileiras de produção de leite e carne a oferta de alimentos volumosos de boa qualidade é sazonal, tornando a produção instável. Além disso, é comum produtores adotarem um único sistema de produção de volumoso, que nem sempre é o mais adequado para sua propriedade e, algumas vezes, não apresentam uma relação custo/benefício adequada.

“Assim, o que hoje se preconiza na alimentação de gado leiteiro ou de corte, no Brasil, é o aproveitamento racional de mais de um recurso disponível na propriedade, cada um no seu tempo certo, com o objetivo de maximizar seu uso e manter a estabilidade da produção de forragem, de leite e da carne”, explica José Avelino. “Busca-se alongar o período de pasto ou de oferta de forragem fresca de alto valor nutritivo na propriedade, com a consequente redução do tempo de utilização dos recursos forrageiros disponíveis, tais como a silagem, cana triturada ou feno”, completa.

O uso do sorgo de corte de pastejo garante a estabilidade de produção de leite e de carne a um custo mais reduzido quando comparado à silagem e ao feno já que o animal é tratado no pasto. Além disso, o pesquisador destaca a qualidade nutritiva desse alimento: “Os híbridos que hoje nós temos no mercado, do sorgo Sudão com o sorgo Bicolor, chegam a 20% de proteína bruta a forragem de matéria seca. Isso é uma qualidade fantástica”. Mas para garantir que o alimento fornecido ao gado mantenha sua qualidade nutritiva é preciso escolher um bom híbrido além de fazer um bom preparo do solo.

Uma vez que o pasto esteja estabelecido com o sorgo de pastejo, o produtor não deve colocar os animais para pastejar antes que as plantas atinjam um metro de altura. Essa medida evita problemas de saúde, como o empazinamento que é o excesso de alimentação,  e mesmo de intoxicação, já que algumas plantas podem produzir ácido cianídrico, uma substância venenosa.

Similar Articles

Pernambucano ganha dinheiro vendendo insetos para alimento de animais

Pernambucano ganha dinheiro vendendo insetos para alimento de animais 0

O comércio de insetos no Brasil está em crescimento e não é de agora que

As vantagens do pastejo integrado entre ovinos e bovinos

As vantagens do pastejo integrado entre ovinos e bovinos 0

Foto: Capri Virtual Praticada em várias partes do mundo, a exploração integrada tem em sua

Receita – Drink maracujack

Receita – Drink maracujack 0

INGREDIENTES:   50 ml de whiskey Jack Daniel’s Meio maracujá 1 colher de sopa de açúcar Refrigerante Citrus   MODO DE FAZER:   Em

O efeito estufa interfere na produção de hortaliças

O efeito estufa interfere na produção de hortaliças 0

O fenômeno do aquecimento global, vem influenciando drasticamente atividades humanas e também com reflexos na

Receita – Cheesecake de Limão com Frutas Vermelhas

Receita – Cheesecake de Limão com Frutas Vermelhas 0

Chef Camila Camargo INGREDIENTES:   Massa 300g bolacha maisena 140g de manteiga derretida 40g de açúcar   Recheio 678g cream cheese em temperatura ambiente 207g

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE