Nordeste Rural | Homepage
Advertisement
[ X ]

O que fazer para enfrentar a seca no campo e minimizar os problemas

🕔30.mar 2015

tanque secoÉ sabido que a escassez de água causa impactos negativos em várias atividades produtivas, sendo uma delas a agricultura. Mas, não há como negar que situações adversas como essa também acabam promovendo mudanças positivas de atitudes e favorecendo a adoção de determinados procedimentos considerados mais adequados.

“O problema hídrico que estamos observando em algumas regiões do Brasil deve ser visto como uma oportunidade para melhorar o uso da água e planejar o futuro”, destaca o pesquisador da Embrapa Cerrados, Lineu Rodrigues, especialista em hidrologia e recursos hídricos e coordenador da Rede de pesquisa Agrohidro. Segundo ele, a falta de água nos últimos meses é consequência da baixa ocorrência de chuvas em períodos atípicos do ano. Esse fator, aliado ao aumento da demanda por água em várias regiões do país e, também, ao desperdício e a não utilização de práticas de conservação, acabaram agravando ainda mais essa situação. Segundo o especialista, no entanto, a crise é também uma questão de gestão e de planejamento.

Uma das saídas para minimizar situações como essa seria organizar o uso da água nas bacias hidrográficas. “Como a oferta de água é variável, para evitar conflitos e problemas hídricos é fundamental planejar e fazer a gestão desse recurso. Isto é, compatibilizar a oferta com as demandas, para não faltar água para ninguém. É importante que o produtor tenha consciência que ele faz parte de um sistema hídrico maior, se ele desperdiçar água, alguém mais abaixo ficará sem”, pontua o pesquisador.

Para o estudioso, a gestão dos recursos hídricos deve ser feita considerando a bacia hidrográfica como unidade territorial de referência. O Brasil está dividido em doze regiões hidrográficas e milhares de pequenas bacias. “De preferência, a gestão dos recursos hídricos deve ser feita no rio de maior ordem, que formam as microbacias. É nessas bacias que é realmente possível constatar os conflitos ou problemas de disponibilidade hídrica”, explica.

Aos produtores rurais cabe contribuir adotando em suas propriedades práticas conservacionistas, tais como o plantio direto e o terraceamento. Essas medidas contribuem para aumentar a infiltração de água no solo e a recarga dos aquíferos, ou do lençol freático. “É essa água que vai abastecer os rios durante o período da seca. Se a infiltração for pequena, a recarga será pequena e faltará água nos rios justamente durante esses períodos críticos”, explica. A adoção dessas práticas conservacionistas também ajuda a reduzir o escoamento superficial, considerado ruim, pois carrega lixo e outras impurezas para os rios. “Nesse sentido, a manutenção da cobertura vegetal é fundamental para combater a erosão e, também, aumentar a infiltração da água no solo”, enfatiza o pesquisador.

 

 

Similar Articles

Cuidados para combater a raiva bovina

Cuidados para combater a raiva bovina 0

A doença atinge todos os mamíferos e animais silvestres. O principal transmissor da raiva é

Estudo mostra quais as melhores regiões para plantar algodão herbáceo

Estudo mostra quais as melhores regiões para plantar algodão herbáceo 0

O levantamento mostra as melhores áreas de plantio do algodão herbáceo para o Distrito Federal

Maior evento indoor do agronegócio nordestino já tem data para acontecer

Maior evento indoor do agronegócio nordestino já tem data para acontecer 0

É o 27º Agrinordeste que vai reunir expositores de onze estados brasileiros a partir do

Receita – Empadão Sertanejo

Receita – Empadão Sertanejo 0

INGREDIENTES: Massa 3 xícaras de Farinha de Trigo Finna 250 g de margarina 1 gema 3 colheres de sopa de

Previsão de recorde na produção de grãos na safra 2018/2019

Previsão de recorde na produção de grãos na safra 2018/2019 0

Em comparação com a safra anterior, o crescimento será de 6% ou 13,7 milhões de

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE