Nordeste Rural | Homepage


Uma fêmea suína mais produtiva

🕔21.fev 2024

71440120mA MO25C foi concebida para ser versátil, com boa produção de leitões, mas que transmita também melhor qualidade de carne aos suínos de abate. Ela é voltada para sistemas de produção que abastecem supermercados, churrascarias, restaurantes, mercado externo e produtos curados, como presunto, copa, e salame, que exigem cada vez mais qualidade de carne in natura, mas também pode ser utilizada por sistemas que produzem carne para indústria.

A principal característica da carne dos cevados produzidos por matrizes MO25C está na suculência ou marmoreio, percebida principalmente na fabricação de produtos curados, que não ficam tão secos. A carne também tem diferenças no sabor, maciez e na cor, um pouco mais vermelha que a carne industrial.

“Essa opção de trazer a qualidade da carne pelo lado da fêmea é pouco explorada no Brasil. Geralmente, todas as linhas fêmeas são especializadas na produtividade de leitões. Esse foi um espaço que a Embrapa percebeu que poderia trazer benefícios para a produção de carne de qualidade, especialmente para produtores independentes e de pequenas integrações”, diz o pesquisador da Embrapa Elsio Figueiredo, que liderou o desenvolvimento da matriz fêmea suína na Embrapa Suínos e Aves em Concórdia, em Santa Catarina.

Ele explica também, os objetivos do desenvolvimento dessa matriz para o pequeno produtor nacional: “A produção de material genético suíno no Brasil está concentrada em grandes empresas do setor, dificultando o acesso de pequenos produtores à genética de qualidade a preços acessíveis. Por isso, a Embrapa decidiu implementar esse projeto de lançar uma linha fêmea que pudesse ser utilizada com a sua linha macho, a MS115, para produzir carne de qualidade”, diz.

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE