Nordeste Rural | Homepage

Pesquisadores realizam mapeamentos geoespaciais dos Tabuleiros Costeiros no Nordeste

🕔05.ago 2020

O trabalho abrange quase todo o Nordeste, da Bahia ao Ceará, e vai permitir que um empreendedor agrícola possa usar o mapa de dados pluviométricos para planejar uma plantação, por exemplo, e um gestor público será capaz de direcionar ações de desenvolvimento para áreas mais necessitadas baseando-se nos dados socioeconômicos mapeados. Essas são apenas algumas aplicações desse valioso banco de informações sobre os Tabuleiros Costeiros.

A pesquisa foi realizada por um grupo de 48 especialistas de diferentes instituições que organizaram a mais completa e integrada base de dados georreferenciados sobre a paisagem dos Tabuleiros Costeiros do Nordeste. Informações sobre recursos naturais e dados socioeconômicos georreferenciados estarão disponíveis ao público gratuitamente na internet, até o fim de 2020, e poderão ser usados por gestores públicos, pela iniciativa privada e pela própria pesquisa para subsidiar trabalhos na região.

Trata-se de uma região pouco conhecida do público leigo, mas que, após definições com base em estudos territoriais profundos, abrange 575 municípios, alcançando sete dos nove estados nordestinos, estendendo-se da Bahia ao Ceará, ficando de fora apenas o Maranhão e o Piauí. A extensão total é de aproximadamente 224 mil quilômetros quadrados, incluindo os ambientes de Tabuleiros Costeiros, Baixada Litorânea e área de transição climática para o Semiárido, denominada Agreste. O total de habitantes na área de atuação chega a 23,6 milhões, de acordo com o censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa é a área de atuação da Unidade da Embrapa com sede em Aracaju, capital sergipana. Um espaço territorial extenso, peculiar e diverso em seu perfil produtivo, com áreas tradicionais de monocultivo da cana, conjuntos de municípios com vocação leiteira, para hortaliças, raízes, coco, ovinos e caprinos e novas culturas menos convencionais e sistemas integrados, e uma grande maioria de propriedades pequenas de base familiar, tudo isso a distâncias não muito longas dos grandes centros urbanos do litoral nordestino.

O pesquisador da Embrapa Marcus Cruz, líder do projeto em rede que gerou a base de dados, ressalta que a GeoTC, como foi batizada pelos cientistas, deverá ser um ponto focal para estudos, pesquisas e geração de subsídios para o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para o crescimento da agricultura de forma sustentável na região de atuação da Embrapa Tabuleiros Costeiros.

Segundo Cruz, o objetivo principal foi organizar e disponibilizar informações geoespaciais sobre recursos naturais – solos, água, clima e vegetação – e aspectos socioeconômicos de relevância agrícola e ambiental na região – com interfaces claras, completas e objetivas para os usuários.

O estudo completo, intitulado “Delimitação da Área Foco de Atuação da Embrapa Tabuleiros Costeiros e Principais Aspectos Fisiográficos”, está disponível aqui. Há também a base de dados Sidra, no site do IBGE, que a partir de 2016, em parceria coma Embrapa Tabuleiros Costeiros, disponibilizou dados agrícolas e econômicos para o grupo de 575 cidades.

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE