Nordeste Rural | Homepage


Paint Horse, o cavalo para todas as atividades no campo

🕔10.jun 2024

O cinema de Hollywood viveu momentos especiais com os grandes filmes de far west ou faroeste ou de cowboy, como ficaram conhecidos, aqui no Brasil . Nesse período, nos anos 50, 60 e 70, um detalhe que sempre chamou muita atenção era a beleza do cavalo pintado que os índios cavalgavam.
Pois bem, demorou, mas esses animais de rara beleza e de cores exóticas chegaram para ficar em terras brasileiras. São os cavalos Paint Horse, uma raça que vem demonstrando um crescimento expressivo entre os criatórios brasileiros. O que pouca gente sabe é que a admiração pelo cavalo pintado é antiga e já vem dos antigos egípcios, índios e outros povos do mundo.

Na história da humanidade há registros importantes de tesouros e artefatos que foram localizados em tumbas do antigo Egito, onde havia representação do cavalo pintado. Não é raro encontrar, nas paredes de cavernas pré-históricas, representações primitivas de cavalos coloridos. Entre cavaleiros de todos os tempos há registros em mosaicos, pinturas, cerâmicas, paredes e jóias de figuras que deixam muito claro, a paixão despertada pelos cavalos de duas cores, em cavaleiros de todos os tempo.

Entre os séculos XVI e XVIII os cavalos de cores exóticas ficaram conhecidos por suas funções e habilidades. Os cavalos Paint se revelaram excepcionais parceiros do homem tanto em situações de guerra como de paz. Contam os registros da história que o conquistador espanhol Hernando Cortez, quando chegou a América em 1519, levava em sua caravana 16 cavalos e entre eles um era pintado. Depois da conquista do México e de ocupação de parte da América começaram a surgir as primeiras fazendas de espanhóis, onde eram criados cavalos e entre eles animais paint. Conta-se que essas fazendas eram frequentemente atacadas por índios que roubavam os cavalos. Daí começaram a surgir pequenos núcleos de cavalos que se criavam em liberdade. Eram os cavalos selvagens e mustangs. Por volta do século dezenove já se podia observar milhares de cavalos que se espalhavam pelas planícies do oeste americano.

Foram esses cavalos que mudaram a história dos índios americanos, que deixaram de ser agricultores para se transformarem em guerreiros nômades. Pelo que contam os historiadores, entre todas as nações indígenas, os Comanches foram considerados os melhores cavalheiros e eles sempre escolhiam, entre os animais das manadas selvagens, os cavalos pintados para serem suas montarias. A pintura natural do pelo dos cavalos era uma forma de acompanhar a pintura adotada pelos guerreiros como pintura de guerra.

A consolidação da raça tem origem, portanto, do cruzamento do cavalo vindo da Espanha com os mustangs selvagens americanos. Ao longo dos anos, os cavalos pintados americanos ganharam vários nomes, até que na década de 50 um grupo de criadores americanos se reuniu para discutir a preservação dos cavalos Paint Horse. Esta foi a semente para a criação da Associação do American Paint Horse, em 1962 e que vem crescendo e se espalhando por todos os cantos do mundo.

A criação da Associação do American Paint Horse fez surgir a necessidade da definição de padrões para a raça. Inicialmente a APHA fez registro de animais de conformação de trabalho que possuíssem manchas brancas no corpo, este seria a característica especial. Portanto, é exigência que os animais tenham um mínimo de pelos brancos na pelagem, em alguma parte do corpo. Os padrões de pelo escuro ao pelo claro podem, então, ser classificados de três formas e com termos distintos: Tobiano, Overo e Tovero.

O Tobiano pode ser de cor clara ou escura. A cabeça do animal, no entanto, deve ser de uma só cor, com uma faixa ou listra na cabeça e geralmente as quatro patas são brancas, podendo ter essa cor até a altura do joelho. É comum que esses cavalos tenham manchas regulares que podem ser ovais ou redondas e, geralmente, se localizam abaixo do pescoço e peito. Também devem existir cores escuras em um ou nos dois extremos.

O Overo geralmente tem todas as patas escuras, ou no mínimo uma delas deve ser escura. As partes brancas não devem ultrapassar as costas do animal, entre a cernelha e o rabo. O overo possui grandes máscaras ou manchas na cabeça. Geralmente as manchas brancas são irregulares. O rabo também deve ter apenas uma cor.

O Tovero mistura características dos Overos e Tobianos.

As habilidades do Paint Horse

Por ser um cavalo forte e de extraordinária versatilidade, o Paint Horse vem se destacando para a prática de trabalho, esporte e lazer. Ele é inteligente, musculoso, atlético e de rara beleza. Atualmente vem conquistando espaço nas competições de tambor e baliza e em vaquejadas do nordeste, sem falar que é excelente na lida diárias das fazendas.

O Pain horse no nordeste

Pernambuco e Bahia são os únicos estados do nordeste onde há criatório dedicado ao cavalo paint horse. O Haras Cherokee, de Sérgio Guimarães, em Gravatá, há 83 quilômetros do Recife e o Haras North America na Bahia. Em Pernambuco, Sérgio é um pioneiro. Resolveu investir sozinho na raça e não se arrepende. Segundo Sérgio, a beleza do animal, a docilidade e a capacidade de trabalho tem valorizado cada centavo investido no plantel.

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE