Nordeste Rural | Homepage
[slide-anything id="14145"]

O produtor rural pode aproveitar os ramos e folhas da mandioca para alimentar o gado

🕔01.nov 2018

ramos e folhas da mandioca

Em regiões deficitárias de pastagem nativas, em conseqüência dos longos períodos de estiagem, solos arenosos e pobres em nutrientes, o uso da mandioca como fonte de proteínas na alimentação animal pode resolver um dos mais graves problemas para o desenvolvimento e a melhoria da pecuária. A forragem da mandioca é rica em proteínas e vitaminas e pode ser um ótimo alimento para o gado.

Para o pesquisador Elson Soares dos Santos, da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba – a Emepa, é muito importante o aproveitamento dos ramos e das folhas da mandioca na alimentação, principalmente, de bovinos leiteiros e de corte. Para ele, “A parte aérea e as raízes completam uma ração de alto valor nutritivo, pois a parte aérea tem em torno de 18 a 20 por cento de proteína bruta, enquanto as raízes têm em torno de 3 por cento, mas é muito rica em energia”, destaca Santos.

Segundo ele, o produtor deve coletar tanto as raízes quanto a parte aérea da mandioca e espalhar o material ao sol para desidratar, por um período de 24 horas após a colheita. Este procedimento faz com que o ácido cianídrico – substância tóxica aos animais, seja eliminado em sua totalidade.

“Nossa recomendação é que tanto a mandioca mansa quanto a brava seja oferecida aos animais somente depois de 24 ou 48 horas após colhida e colocada em um ambiente para murchar, ou seja, para desidratar ao sol. Os produtores não devem fornecer esses alimentos aos animais sem aguardar o tempo recomendado, para evitar problemas de intoxicação aos animais”, ressalta Elson Soares dos Santos.

 

 

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE