Nordeste Rural | Homepage

O Nordeste perde um dos seus maiores exemplos de conhecimento, ética e dignidade

🕔30.jul 2020

O destino, Deus e a vida, quis fazer a última homenagem a Manuel Dantas Vilar, o Manelito, engenheiro e professor aposentado da área de Hidrologia da Universidade Federal da Paraíba. Ele morreu exatamente no dia que se comemora o Dia do Agricultor. Nordestino de raiz nascido em Taperoá, na Paraíba, e primo do escritor Ariano Suassuna, que era seu sócio na Fazenda Carnaúba, Manelito, como ficou carinhosamente conhecido, foi um dos nomes mais respeitados da agropecuária e da agroindústria do Nordeste, sendo pioneiro na introdução do zebu na região, além de grande incentivador das pesquisas dos rebanhos de ovinos e caprinos do Cariri paraibano.

Para a jornalista Adriana Victor, que fez uma das mais importantes reportagens com Manoelito, ele disse: “Nordestino, no Brasil, até hoje escapou fazendo da fraqueza, força”. A repórter narra que “persistindo em suor e garra que ele ergueu tudo o que hoje se avista na Fazenda Carnaúba, Taperoá, Sertão dos Cariris Velhos da Paraíba do Norte. As cabras e ovelhas que desfilam as suas cores e pelagens pelos tabuleiros, o gado leiteiro que não mais se intimida com os desafios sertanejos, os queijos que abocanham prêmios Brasil afora, surpreendendo os que não creem no vigor da terra quase sem água. Também veio da força de Manelito Dantas a permanência dos filhos e dos netos no seu lugar, a perpetuação”.

Menelito Dantas tinha 83 anos, era viúvo, e deixa cinco filhos e dez netos. Ele estava internado   num hospital de Campina Grande onde se submeteu a uma cirurgia de vesícula, teve complicações pós-operatórias e não resistiu. Além de um vasto reconhecimento pelo trabalho realizado à frente da Fazenda Canaúba, foi na opinião de Ricardo Rodrigues, ex-secretário de Agricultura de Pernambuco, “o maior conservacionista que conheci no tocante pecuária bovina, caprina e ovina. Um amante das coisas do Nordeste, com visão global do mundo e o maior conhecedor das plantas da nossa caatinga e do semiárido nordestino”, reflete.

Manelito Dantas residia na Fazenda Carnaúba, em Taperoá, onde se dedicou às criações de bovinos Guzerá e Sindi puros de origem registrados, Curraleiro Pé Duro, ovinos deslanados e caprinos leiteiros de raças nativas, como Parda Sertaneja, Moxotó, Graúna, Serrana Azul, Repartida, Canindé, Marota, Murcianas (Pretas e Caobas) e Biritingas.

Homem de visão aberta e futurista, Manelito sempre teve uma opinião muito pessoal e objetiva sobre a região que sempre defendeu: “O Brasil, com o Nordeste seco bem incluído, tem a vocação e o destino de ser, também, a grande nação agropecuária, sobretudo pecuária, do mundo. Basta neutralizar mentes coloniais e ter a dignidade de estabelecer uma política decente de financiamentos rurais, calcada em parâmetros tecnicamente corretos e ajustados para cada região fisiográfica. Tomando o Brasil como referência para pensar o Brasil e a peculiar semiaridez do Nordeste para o Nordeste.”

Entidades de classe também se manifestaram sobre a perda de Manelito Dantas. Em nota, a Associação Brasileira dos Criadores de Caprinos (ABCC), decretou luto oficial por três dias. A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) também se manifestou em solidariedade aos familiares e amigos, lamentando profundamente a perda. Segundo a entidade, Manelito era associado da ABCZ desde 1982, e participava dos principais programas de melhoramento genético da entidade, incluindo o PMGZ Leite Max. Em reconhecimento a grande contribuição para o setor, foi homenageado pela entidade em 2014, com o ‘Mérito ABCZ’.

A Associação Brasileira de Zootecnistas – ABZ – se solidariza com a família e amigos neste momento de tristeza pela perda deste grande profissional que realizou importantes contribuições em prol da agropecuária no Brasil. A equipe do Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTI) manifesta o mais profundo pesar pelo falecimento, do Sr. Manoel Dantas Vilar Filho, 83 anos, Presidente do Comitê Executivo para Implantação do INSA (2004-2007), ao mesmo tempo em que presta condolências aos familiares e amigos enlutados por esta irreparável perda.

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE