Nordeste Rural | Homepage
[slide-anything id="14145"]

O mundo inteiro vive momentos de escassez de proteína

🕔10.abr 2021

A escassez global de fornecimento de proteínas está criando incertezas, para produtores e para a indústria de rações, a respeito da procedência do fornecimento dos grãos neste ano. Além disso, há pressão constante nos produtores para atenderem à demanda global de leite e carne enquanto reduzem o impacto ambiental e mantêm suas criações financeiramente viáveis. Atingir o equilíbrio entre esses objetivos conflitantes pode parecer impossível, mas segundo uma nova pesquisa na área de ruminantes existe a possibilidade de encontrar substituto.

O estudo, realizado pela empresa especializada em nutrição animal, mostrou que a proteína vegetal pode ser substituída por nitrogênio não proteico, permitindo aos produtores de leite e carne melhorarem o desempenho animal, diminuirem a pegada de carbono e aumentarem a rentabilidade. A tecnologia utilizada na pesquisa foi o Optigen, da Alltech. Os novos dados da meta-análise examinam os efeitos da suplementação com solução em vacas leiteiras a partir de 17 estudos realizados em seis países diferentes, enquanto a pesquisa com bovinos de corte foi baseada em 17 estudos conduzidos em nove diferentes países.

“A fonte de proteína responsável pela alimentação animal é uma questão global crucial na cadeia produtiva, e o uso de proteínas vegetais na alimentação pode ter restrições relacionadas à disponibilidade, volatilidade de preço e associação com o impacto ambiental”, afirma o pesquisador Dr. Saheed Salami. “Os estudos dessa meta-análise confirmaram que a tecnologia é um substituto viável para fontes de proteína vegetal para rações de ruminantes, resultando em uma maior eficiência alimentar, rentabilidade e sustentabilidade ambiental para a produção de leite e carne”, complementa.

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE