Nordeste Rural | Homepage
Advertisement

Uma radiografia da cadeia produtiva de flores no Brasil

🕔28.nov 2015

flores 1Os números da cadeia produtiva de flores e plantas ornamentais no Brasil impressionam. No ano passado, o segmento movimentou mais de R$ 10 bilhões e gerou 190 mil empregos diretos, investindo R$ 2,8 bilhões em salários. E também gerou R$ 2,5 bilhões de impostos. Os dados fazem parte de um mapeamento inédito da cadeia de flores e plantas no Brasil, que foi divulgado esta semana, em Holambra, durante o 4º Seminário do Instituto Brasileiro de Floricultura (Ibraflor).

Desenvolvido pela Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia da Universidade de São Paulo (Fundace/USP), o Mapeamento e Quantificação da Cadeia Produtiva de Flores e Plantas Ornamentais do Brasil em 2014 foi financiado por meio de um convênio entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e a Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp).

“Pela primeira vez é possível demonstrar a grandeza econômica da cadeia de flores no Brasil, com um descritivo dos seus elos e análise dos seus fluxos financeiros”, diz o presidente da Ocesp, Edivaldo Del Grande.  O estudo revelou ainda que a força econômica da cadeia está nas cooperativas. As três principais cooperativas do país estão em São Paulo – Veiling Holambra, Cooperflora e SP Flores. O Estado de São Paulo representa 40% do mercado de flores do país.

“O sistema de produção e mercantilização dessas cooperativas faz frente às melhores tecnologias do mundo. O problema é que, se sairmos de São Paulo, a produção de flores ainda é independente e carente de tecnologia”, diz Fava Neves. Para ele, o caminho da profissionalização da cadeia está na formação de cooperativas e na criação de uma rede de expansão tecnológica, que permita levar o benchmarking das grandes cooperativas aos produtores em outras localidades.

Um dos desafios do levantamento foi o excesso de produtos comercializados; nesse sistema há mais de 2.000 espécies de flores e plantas ornamentais. Assim, estabeleceu-se por intermédio das entrevistas as principais espécies a partir de três categorias de produto: (1) flores e folhagem de corte, (2) flores e plantas de vaso e (3) plantas ornamentais e destinadas ao paisagismo (exceto grama).

Foram entrevistadas 107 pessoas, entre eles produtores, decoradores, fornecedores de insumos, máquinas, implementos, representantes de cooperativas, atacados, floriculturas e centros de distribuição, em 20 cidades, durante maio e agosto deste ano. A base dos dados refere-se a 2014.

O levantamento mostra também que o PIB da cadeia de flores no Brasil foi de R$ 4,5 bilhões e a movimentação financeira, de R$ 10,2 bilhões. Entre os principais canais de distribuição do varejo, os decoradores foram os que mais faturaram em 2014, cerca de R$ 2,3 bilhões, seguidos das floriculturas, com R$ 984,3 milhões. Tanto os números de importação como de exportação de flores ainda são poucos significativos. Representam apenas 1%. De qualquer forma, a balança é negativa: importamos R$ 83 milhões e exportamos R$ 55 milhões.

Similar Articles

Cama de galinha usada como adubo pode ser responsável pela proliferação da mosca dos estábulos em Pernambuco

Cama de galinha usada como adubo pode ser responsável pela proliferação da mosca dos estábulos em Pernambuco 0

É o que apostam alguns produtores e especialistas quando analisam o constante crescimento da mosca

Agropecuária sustentável ajuda o Brasil reduzir emissão de gases de efeito estufa

Agropecuária sustentável ajuda o Brasil reduzir emissão de gases de efeito estufa 0

O Brasil tem dados que asseguram que o país está cumprindo os compromissos da 15ª

Uma cultivar de arroz própria para cultivo em vários estados do nordeste

Uma cultivar de arroz própria para cultivo em vários estados do nordeste 0

É o arroz vermelho desenvolvida, pela primeira vez, no Brasil através dos pesquisadores da Embrapa.

Produtor perde menos usando suplementos granulados na dieta bovina

Produtor perde menos usando suplementos granulados na dieta bovina 0

Em um trabalho de pesquisa, cientistas da Embrapa Gado de Corte (MS) testaram alternativas para

Mudam as regras para produção de leite aos fornecedores das indústrias credenciadas pelo governo

Mudam as regras para produção de leite aos fornecedores das indústrias credenciadas pelo governo 0

As mudanças foram publicadas no Diário Oficial da União, nas Instruções Normativas (INs) 76 e

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE