Nordeste Rural | Homepage

Um saboroso combate entre as uvas Chardonnay e Sauvignon Blanc

🕔05.jun 2017

Por Fernando Antonio de Queiroz Fonseca Junior  (Tony)

 

Olá, queridos enófilos!

Primeiramente quero deixar claro a diferença entre as uvas Sauvignon Blanc e Chardonnay, pois ainda há muita confusão para distingui-las, mesmo tendo muitas diferenças entre elas.

 

Sauvignon Blanc e a Chardonnay são os dois vinhos brancos mais populares do mundo. Cada um representa um estilo diferente e há quem prefira apenas um dos dois, mas vamos dar uma olhada em suas diferenças para descobrir qual deles você prefere.

Sauvignon Blanc é uma uva que se originou em Bordeaux, na França, mas foi no Vale do Loire onde ela desenvolveu todo o seu esplendor.

O sabor da Sauvignon Blanc é muito diferente da uva Chardonnay, por causa de seus aromas mais herbáceos. O nome Sauvignon Blanc significa “branco selvagem” e é uma das uvas mais plantadas no mundo, por isso ela tem uma ampla gama de estilos e sabores. Entretanto, é nos climas frios que ela melhor se desenvolve como na Nova Zelândia, país onde a uva se adaptou perfeitamente, gerando ótimos vinhos. Também é usada no corte dos famosos vinhos de sobremesa franceses como Sauternes e Barsac.

Sauvignon Blanc é um vinho branco mais leve e muito aromático, que explode no nariz um poderoso aroma que é mais fácil de descrever como super verde. Dependendo de onde o vinho foi feito (clima frio vs. clima quente), você irá notar que os seus aromas variam muito, indo da grama fresca, abacaxi, carambola, limão, bem como, pera e melão.

O que é interessante notar é que alguns vinhos Sauvignon Blanc de alta qualidade, como os da região do Pessac Leognan, Bordeaux ou do vale de Yakima em Washington, muitas vezes, estagiam em carvalho, adicionando a mesma cremosidade que existe nos Chardonnays e talvez esteja aí a origem da confusão.

Chardonnay é uma uva de casca esverdeada que se originou na região da Borgonha, na França e é conhecida como a “rainha das uvas brancas”.

É muito versátil e se adapta a qualquer clima, tendo ótimo rendimento de produção. Esse também é um dos motivos do seu título de rainha dos vinhos brancos, afinal, ela também é uma das estrelas utilizadas no corte dos famosos Champanhes, e ganha notoriedade entre os críticos dos vinhos na região de Chablis, na Borgonha, onde se produzem chardonnays espetaculares!

É difícil definir um estilo único para Chardonnay, já que ela pode absorver diversas personalidades, ao gosto do seu produtor. Mas uma coisa é certa, ela sempre poderá te surpreender.

Chardonnay é um vinho branco seco mais encorpado, com sabores primários de frutas como maçã verde, maracujá e pessego. Uma vez que é um dos poucos vinhos brancos que aceitam bem o envelhecimento em carvalho, apresentando notas secundárias e diferentes como creme, baunilha ou manteiga. Então, quando se busca um Chardonnay, existem dois estilos diferentes que você pode facilmente identificar pelo método de produção, com barrica ou sem barrica. Na verdade, qualquer chardonnay envelhecido em carvalho irá desenvolver mais cremosidade com notas de baunilha, mas a grande maioria que não passa por barrica, possui um estilo mais frutado e até mesmo floral.

A Chardonnay é a uva branca que se equivale a uva tinta Cabernet Sauvignon, considerada a casta branca mais importante e famosa em todo o mundo do vinho. Assim como a Cabernet Sauvignon, a uva Chardonnay se adapta com facilidade em diferentes tipos de clima e solo sem perder suas características principais.

Em muitas regiões vinícolas do Novo Mundo, a Chardonnay se adaptou muito bem, dando origem a grandes vinhos brancos na Austrália e África do Sul, Argentina, Chile, Estados Unidos, Nova Zelândia. Já em países do Velho Mundo, a Chardonnay foi cultivada em maiores quantidades na Itália, com maior êxito no norte da Toscana. Na Espanha e em Portugal a variedade fez menos sucesso, assim como na Alemanha, já que necessita de clima mais quente para atingir o ápice qualitativo.

Os vinhos Chardonnay podem ser divididos em dois estilos: os exemplares envelhecidos em barris de carvalho e os que não estagiam em madeira. Os vinhos que não passam pelas barricas de carvalho são mais secos, leves e frutados, harmonizando-se perfeitamente com frutos do mar e ostras a base de molhos tipo ensopados.

Já os Chardonnay envelhecidos em barris de carvalho são exemplares mais encorpados, untuosos e com bastante estrutura. Na maior parte do tempo, tais vinhos não parecem “tão secos” por consequência do elevado nível de álcool, visto que o álcool adiciona uma sensação de doçura a bebida e devido a isto estes vão muito bem com molhos cremosos.

O Oyster Bay Chardonnay, por exemplo, é elaborado pela Oyster Bay com parte das uvas fermentadas em barrica de carvalho francês, sendo elegante e profundo. A safra 2009 conquistou a medalha de ouro e o título “Great Value White” no International Wine Challenge 2011, em Londres.

Pelo seu corpo, um bom Chardonnay envelhecido em madeira acompanha muito bem pratos que contenham peixes mais fortes e até aves brancas.

É sempre aconselhável que os Chardonnay sejam servidos em uma temperatura entre 13 e 14ºC.

Dito isso, vamos em busca dessa sensação.

Tim Tim e saúde!

 

Fernando Tony

Similar Articles

Menos custos para a produção de silo no semiárido

Menos custos para a produção de silo no semiárido 0

A redução dos custos de produção da silagem acontece através do consorcio de milho e

Receita – Cuscuz Desmanchadinho com Sardinha

Receita – Cuscuz Desmanchadinho com Sardinha 0

Por: Gomes da Costa   INGREDIENTES: 3 colheres (sopa) de Azeite Carbonell 1 cebola picada 2 tomates maduros, sem pele e

A cadeia produtiva do leite investe em tecnologia digital para crescer em produtividade

A cadeia produtiva do leite investe em tecnologia digital para crescer em produtividade 0

A produção de leite está presente em 99% dos municípios brasileiros e só este percentual

O solo do cerrado pode ser recuperado com uma planta leguminosa nativa

O solo do cerrado pode ser recuperado com uma planta leguminosa nativa 0

Estima-se que metade dos mais de dois milhões de quilômetros quadrados do Cerrado, segundo maior

Organização Mundial de Saúde Animal deve reconhecer o Brasil livre de aftosa com vacina

Organização Mundial de Saúde Animal deve reconhecer o Brasil livre de aftosa com vacina 0

O Comitê Científico da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) recomendou que o Brasil seja

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE