Nordeste Rural | Homepage

Solo duro e resistente provoca redução na produção de algodão

🕔31.mar 2015

algodaão 2Todos os solos são sujeitos à compactação, independentemente da textura. O excesso de revolvimento (aração e gradagem) e a entrada de máquinas em condições de alta umidade do solo são os principais fatores responsáveis pelo problema. É o que afirma o pesquisador da Embrapa Agrossilvipastoril Ciro Magalhães.

A resistência à penetração na camada de 10 a 20 cm do solo é um dos principais fatores responsáveis pela redução da produtividade do algodão. Se a compactação vier acompanhada da infestação pelo nematoide Meloidogyne incognita o dano tende a ser ainda maior.

Para estudar o fenômeno, os pesquisadores da Embrapa, Instituto Mato-grossense de Algodão e outros parceiros desenvolveram uma pesquisa desenvolvida com o objetivo de correlacionar 78 parâmetros, bióticos e abióticos, com a produtividade do algodoeiro, em busca de causas para a redução da produtividade que tem sido observada nas lavouras. Entre os itens avaliados estavam sistema de produção, cultivares utilizadas, produtividade, atributos químicos, físicos e biológicos do solo, presença de fitoparasitas, entre outros.

O resultado do trabalho observou que 16% das áreas amostradas apresentam valores muito altos de resistência à penetração, sendo necessária a realização de alguma medida para descompactar o solo. “A principal causa é o manejo intensivo do solo. A gradagem favorece a compactação porque está desagregando o solo. A capacidade de suporte de carga do solo fica menor. Se entrar uma máquina para fazer alguma operação em um solo revolvido, provavelmente ele não suporta a carga e ocorre a compactação”, explica.

A pesquisa mostrou que em solos classificados como argilosos, quando infestados por grande população de M. incognita, a produção de caroço de algodão por hectare chegou ter redução de 32 arrobas, passando de 277 @/ha para 245@/ha. O prejuízo foi ainda maior em solos classificados como de textura média. Neles, a produção média de 308 @/ha chegou a cair para 238 @/ha por influência de maior população do nematoide das galhas.

O uso de sistemas integrados de produção, com a rotação de culturas tem sido a principal alternativa apontada pelos especialistas para redução dos dois problemas. No caso da compactação de solo, o uso de plantas com sistema radicular mais eficiente, como crotalárias, nabo forrageiro e gramíneas são uma forma de aumentar a quantidade de poros no solo. Mas, em alguns casos, a compactação é tão intensa que exige a descompactação mecânica.

“A opção é entrar com o subsolador quebrando essa camada compactada. Mas não adianta descompactar e continuar produzindo do mesmo jeito. Tem de mudar a mentalidade, fazer rotação de culturas, usar plantas de cobertura, evitar revolver o solo para não permitir que volte a se compactar”, alerta Ciro Magalhães.

 

 

Similar Articles

Árvore na janela

Árvore na janela 0

A imagem inédita se repetiu. Mais uma árvore crescendo em lugar inapropriado. Desta vez foi

Adubo verde in natura com aproveitamento de uma leguminosa do cerrado

Adubo verde in natura com aproveitamento de uma leguminosa do cerrado 0

A camaratuba – cratylia argente – tem como uma de suas características a fixação biológica

Atenção para os donos de granjas de avicultura

Atenção para os donos de granjas de avicultura 0

Para facilitar o controle sanitário das granjas de todo o Brasil, o Ministério da Agricultura,

São Paulo perde para o Mato Grosso na primeira análise do VPR de 2018

São Paulo perde para o Mato Grosso na primeira análise do VPR de 2018 0

A primeira estimativa do valor bruto da produção agropecuária (VBP) para 2018 é de R$

Previsão de chuva para todas as regiões brasileiras nos próximos 15 dias

Previsão de chuva para todas as regiões brasileiras nos próximos 15 dias 0

Muitas áreas do Sudeste, do Centro-Oeste, do Norte e até de alguns estados da Região

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE