Nordeste Rural | Homepage
[ X ]

Qualidade do mel pode melhorar com apiário em área com sombreamento natural

🕔09.jul 2018

apicultura - sombreamentoEstudo conduzido pela pesquisadora Maria Teresa Rêgo, da Embrapa Meio-Norte (PI), revelou que o sombreamento das colmeias e a presença de água nas proximidades favorecem o desenvolvimento das colônias e a qualidade do mel. Um dos resultados mais expressivos dessa pesquisa mostrou que o sombreamento natural, com árvores, ajudou na ampliação rápida da área de cria. Essa área corresponde ao favo, no qual as crias se desenvolvem. A melhor faixa de temperatura para o desenvolvimento delas é entre 30 e 35 graus Celsius.

“Em uma colônia, as operárias trabalham para manter essa faixa de temperatura ideal às crias, seja aquecendo o ninho, quando ocorrem temperaturas baixas, seja resfriando, no caso de temperaturas elevadas”, explica a cientista. Segundo ela, quanto mais a colônia de abelhas estiver exposta a temperaturas que se distanciam dessa faixa, maior será o trabalho das operárias para manter um clima ideal e estabelecer a termorregulação. O trabalho das operárias no aquecimento ou resfriamento do ninho afeta o desenvolvimento das colônias.

No experimento, essa área foi mensurada periodicamente por meio de mapeamento dos favos, em colônias expostas a diferentes condições: totalmente ao sol, sob coberturas construídas com palha de babaçu, coberturas de tela sombrite e com a sombra de árvores. O mapeamento registrava as áreas dos favos contendo alimento, mel e pólen, e as crias. As temperaturas internas e externas às colmeias eram registradas semanalmente. Com isso, ficou constatado que o microclima sob a copa das árvores foi beneficiado por uma melhor ventilação, favorecendo o conforto térmico.

Outro resultado importante do trabalho veio da análise da qualidade do mel coletado das colmeias submetidas a essas diferentes condições. Foram feitas análises físico-químicas quanto ao teor de Hidroximetilfurfural (HMF), atividade diastásica e acidez. Todas as análises foram feitas no Laboratório de Controle da Qualidade de produtos Apícolas da Embrapa Meio-Norte, em Teresina.

A pesquisa revelou também outro dado animador. As coberturas construídas com palhas e o sombreamento de árvores favorecem a manutenção de níveis mais baixos de HMF no mel. O HMF é uma molécula que nasce da transformação dos monossacarídeos frutose e glicose. Quanto mais calor, segundo os testes, é mais rápida a conversão dela. Por causa dessa característica, a molécula passou a ser usada como indicador de aquecimento, processamento inadequado e até de adulterações no mel.

A cientista diz que, em mel produzido recentemente, a quantidade de HMF é mínima. Mas com o aquecimento e o tempo de armazenamento do produto, a quantidade da molécula tende a aumentar, comprometendo a qualidade e a aceitação do mel no mercado. Pela legislação brasileira estabelecida na Instrução Normativa número 11, de 2000, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a presença do HMF no mel não pode ser superior a 60 miligramas por quilo.

Similar Articles

Bem-estar animal pode evitar prejuízos para o produtor rural

Bem-estar animal pode evitar prejuízos para o produtor rural 0

O bem-estar dos animais é assunto primordial no processo de criação, que garante melhor qualidade

Programa Garantia Safra beneficia mais de 37 mil produtores no Nordeste

Programa Garantia Safra beneficia mais de 37 mil produtores no Nordeste 0

A previsão é de que um total de 37.579 produtores de Pernambuco, Paraíba e Minas

Brasil pode ter uma colheita recorde para a próxima safra

Brasil pode ter uma colheita recorde para a próxima safra 0

Os estudos foram realizados pela Conab - Companhia Nacional de Abastecimento – que estima colheita

Receita – Sarapatel

Receita – Sarapatel 0

Por Foto do livro "História dos Sabores Pernambucanos" Maria Lectícia Monteiro Cavalcanti   INGREDIENTES: 2 kg de

Solos com erosão provocam perda de produtividade da superfície terrestre global

Solos com erosão provocam perda de produtividade da superfície terrestre global 0

O prejuízo pode atingir 23%, diz estudo da Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Biodiversidade

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE