Nordeste Rural | Homepage

Produtores de cana reagem à crise e conseguem manter o setor produtivo no Nordeste

🕔08.jun 2016

canavial 4A crise econômica e a permanente falta de políticas públicas para o setor canavieiro também afetaram usinas, fornecedores e cidades nordestinas. O segmento ainda enfrentou problemas das secas recorrências, inclusive a maior dos últimos 50 anos, com o fechamento de diversas unidades. A situação fez com que os fornecedores de cana se unissem e reativassem cooperativas, reabrindo três usinas, sendo duas em PE e uma em AL. A Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), cujo presidente foi um dos responsáveis pela reativação de uma delas, destaca a iniciativa que evitou com que os canavieiros vissem passivamente a sua produção morrer no campo sem ter para onde fornecer com as usinas fechando, podendo levar a extinção deste tradicional setor socioeconômico no NE.

Mais de dez usinas fecharam em PE nos últimos anos, com destaque a alguns parques fabris com as maiores produção, a exemplo da Pumaty, em Joaquim Nabuco, na Zona da Mata Sul, e da Cruangi, em Timbaúba na Mata Norte. Com isso, centenas de fornecedores perderiam a produção. Não teriam para onde moer, já que muitas usinas fecharam. “Decidimos não ficar de braços cruzados apesar de todos os desafios da economia, clima, e da falta das políticas públicas, inclusive a suspensão do pagamento da subvenção para a cana nordestina, iniciada no governo Lula”, diz Alexandre Andrade Lima, presidente da Feplana, que também preside a Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP).

“Foi então que reativamos duas cooperativas em PE (Agrocan e Coaf) e decidimos arredar, reabrir e gerir as usinas Pumaty e Cruangi a partir dos anos 2014 e 2015 respectivamente”, explica Andrade Lima, que preside a Coaf – cooperativa de fornecedores de cana da Mata Norte que passou a gerir a Cruangi. A cooperativa de canavieiros da Mata Sul (Agrocan), liderada pelo Sindicato dos Cultivadores de Cana do Estado (Sindicape), ficou à frente da Usina Pumaty, que segue para a terceira safra seguida. Ambas as unidades devem reiniciar o período de moagem em agosto.

 

 

Similar Articles

Menos custos para a produção de silo no semiárido

Menos custos para a produção de silo no semiárido 0

A redução dos custos de produção da silagem acontece através do consorcio de milho e

Receita – Cuscuz Desmanchadinho com Sardinha

Receita – Cuscuz Desmanchadinho com Sardinha 0

Por: Gomes da Costa   INGREDIENTES: 3 colheres (sopa) de Azeite Carbonell 1 cebola picada 2 tomates maduros, sem pele e

A cadeia produtiva do leite investe em tecnologia digital para crescer em produtividade

A cadeia produtiva do leite investe em tecnologia digital para crescer em produtividade 0

A produção de leite está presente em 99% dos municípios brasileiros e só este percentual

O solo do cerrado pode ser recuperado com uma planta leguminosa nativa

O solo do cerrado pode ser recuperado com uma planta leguminosa nativa 0

Estima-se que metade dos mais de dois milhões de quilômetros quadrados do Cerrado, segundo maior

Organização Mundial de Saúde Animal deve reconhecer o Brasil livre de aftosa com vacina

Organização Mundial de Saúde Animal deve reconhecer o Brasil livre de aftosa com vacina 0

O Comitê Científico da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) recomendou que o Brasil seja

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE