Nordeste Rural | Homepage

OS búfalos no Estado de Pernambuco: Décadas de História

🕔30.nov 2019

Por: Ricardo Pessoa – Professor da UFRPE

Foto: Manuel Ernesto

 

O professor Ponce de Leon Filho registrou que os primeiros bubalinos (Bubalus bubalis) teriam chegado ao Estado de Pernambuco no ano de 1965 no Zoológico de Dois Irmãos, localizado no bairro de mesmo nome no Recife, onde curiosamente foram expostos como se animais selvagens fossem. Já no ano de 1968 o usineiro João Lopes de Siqueira Santos realizou uma importação de búfalos e iniciou a sua criação no Engenho Cajabussú, na cidade do Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife. Daí por diante muitos eventos se sucederam e as “pérolas negras” não só sobreviveram a todos eles como têm se destacado na atividade pecuária fazendo jus a fama do que chamamos de “animal da sustentabilidade”.

Nesses quase nove anos de dedicação à leitura e pesquisa sobre a criação de búfalos em PE podemos perceber que o cultivo de cana-de-açúcar e a bubalinocultura apresentam íntima relação uma vez que estes animais ocupam em sua maioria a mesma região do estado denominada de zona canavieira, para alguns durante muito tempo considerada região imprestável à atividade pecuária. A Zona da Mata de Pernambuco somada à Região Metropolitana contempla praticamente todo o rebanho de búfalos do estado, não sendo possível afirmar com exatidão o efetivo total de animais.

Um passeio na história da atividade em PE permite relembrar o importante trabalho realizado pelos saudosos criadores Gilberto Perman, do Engenho Cumbe, localizado no município de Água Preta e Fernando Lacerda, do Engenho Limoeiro, localizado no município de Gameleira. Na década de 80 o criador Heretiano Colaço migrou com o seu rebanho do estado da Bahia para Pernambuco iniciando a sua criação no Engenho Poço Fundo, no município de Água Preta, inovando com o uso da inseminação artificial em bubalinos ainda na década de 90. O Sr. Colaço e família mantêm a criação até os dias atuais associada ao Laticínio Bupesa que fabrica derivados do leite de búfalas comercializados no estado de Pernambuco. Ainda, o bubalinocultor José Leandro que realizou importante criação na Fazenda Riachão, localizada no município de Sairé, Agreste do estado. Sem dúvida alguma outros criadores estiveram associadas à atividade nesse período que consideramos marcante para o estabelecimento da bubalinocultura em Pernambuco.

Merece destaque a criação de bubalinos no município de Ribeirão onde se encontra localizado o Laticínio Facco que foi comandado durante muitos anos pelo Dr. Paulo Corrêa, um exímio conhecedor da espécie bubalina. Ainda nesta região a bubalinocultura tem despertado o interesse de vários outros criadores a exemplo dos senhores Ivaldo Soares, Ernesto Neto, Manuel Ernesto e Rodrigo Vasconcelos os quais produzindo carne e leite de qualidade estabeleceram um sistema de parceria com a empresa Tapuio Agropecuária do estado do Rio Grande do Norte, uma das líderes no mercado brasileiro de derivados de búfalos que recebe semanalmente todo esse leite produzido na Zona da Mata pernambucana. O preço do leite de búfala pago ao produtor é até 130% superior ao do leite de vaca. O novilho bubalino também tem sido comercializado com preço diferenciado. Nada mais justo quando se tem produtos obtidos em sistemas comandados por gente que “faz contas”, reconhece o potencial da espécie e investe na produção racional e tecnificada, pré-requisitos básicos para o estabelecimento da pecuária moderna. A Usina Cucaú, também localizada em Ribeirão, mantém um rebanho de búfalos que acreditamos ser o maior de Pernambuco. O Engenho Cachoeira de propriedade do Sr. Paulo Carneiro Leão, em Ribeirão, também mantém a criação de búfalos associada ao Turismo Rural.

Observamos ainda a presença da criação de búfalos na Fazenda Itamatamirim no município de Vitória de Santo Antão e no Engenho Quandu’s, no mesmo município. Na cidade de Escada a Destilaria Sibéria mantém um rebanho de búfalos sob o comando de Roberto Falcão produzindo excelentes novilhos para o corte. Marcos Falcão, criador de búfalos no município de Gameleria, dedica-se a produção de bubalinos para o corte com um rebanho que merece destaque. Em Tamandaré e em Limoeiro também podemos encontrar outros rebanhos de búfalos.

No campo da ciência a Universidade Federal Rural de Pernambuco mantém no Departamento de Zootecnia o Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão em Bubalinocultura que atua com foco na formação profissional, na divulgação da espécie bubalina e dos seus produtos, como também desenvolvendo pesquisas nas áreas de produção, reprodução e nutrição de búfalos em parceria com outras universidades do Brasil e instituições privadas. O potencial da espécie bubalina contrasta com a disponibilidade de informações científicas a seu respeito. A UFRPE é pioneira na pesquisa com búfalos no Nordeste do Brasil.

O leite e a carne de búfalos têm sido comercializados em Pernambuco com preços diferenciados, sendo observado nas grandes redes de supermercado produtos oriundos de laticínios do Estado de São Paulo, de Minas Gerais e do Rio Grande do Norte, além dos queijos da Facco e da Bupesa, sempre em valores duas a três vezes superiores aos praticados com produtos de origem da espécie bovina. Entre os derivados lácteos se destacam a legítima MOZZARELLA e a BURRATA. A carne de búfalo da marca “Di Bufalo” em cortes premium também pode ser encontrada nos grandes supermercados e boutiques do Recife com preços semelhantes às carnes de bovinos da espécie Taurina.

Além de inegável potencial no que diz respeito à espécie e a qualidade dos seus produtos é interessante contemplar o entusiasmo dos bubalinocultores pernambucanos e as perspectivas para a atividade no estado. É gratificante estar vivendo este tempo da bubalinocultura brasileira. Tempo de desmistificar, de profissionalizar e, acima de tudo, de respeitar a espécie pelo que ela é e representa, o “rústico precoce”, o “animal da sustentabilidade”, o Bubalus bubalis em Pernambuco, o Bubalus bubalis do Brasil!

A foto ao lado foi feita no Engenho Cocula, no Município de Ribeirão, em Pernambuco.

As fotos da página são de Manuel Ernesto

bufalos no pasto

Similar Articles

Perdas na safra de milho do Rio Grande do Sul mostra crescimento nos pedidos de seguro rural

Perdas na safra de milho do Rio Grande do Sul mostra crescimento nos pedidos de seguro rural 0

Foram registrados 6.719 comunicados de perdas pela seca no RS. Mais da metade (54,5%) foram

Carne bovina promove crescimento da receita do agronegócio brasileiro

Carne bovina promove crescimento da receita do agronegócio brasileiro 0

Em janeiro de 2020, as Exportações de carne bovina tiveram alta de 9,84%, promovendo receitas

Balanço positivo para os custos de produção de suínos e de frangos de corte em 2019

Balanço positivo para os custos de produção de suínos e de frangos de corte em 2019 0

Os custos de produção de suínos e de frangos de corte calculados pela CIAS, a

Novo mercado para a exportação da carne bovina brasileira

Novo mercado para a exportação da carne bovina brasileira 0

O pais que confirmou a compra de carne bovina brasileira é o Kuwait, que foi

Serra Gaúcha, no verão,  estimula turismo para ver a colheita da uva

Serra Gaúcha, no verão, estimula turismo para ver a colheita da uva 0

colheita da uva na Serra Gaúcha acontece de janeiro a março e os turistas podem

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE