Nordeste Rural | Homepage
Advertisement

Mobilização para incluir animais em planos de redução de riscos em desastres ambientais

🕔21.out 2018

vários animais

Em comemoração ao Dia Internacional da Redução de Desastres, a Proteção Animal Mundial (World Animal Protection) pede a governos de todo o mundo que incluam os animais nas políticas de redução de risco em desastres. O plano de ação visa o bem-estar de comunidades em que a economia é baseada na agricultura, estima-se que 2,5 bilhões de pessoas são pequenos agricultores, pastores e pescadores – ou seja, precisam de animais para subsistência.

No Brasil o país não conta com um trabalho estruturado, e são poucos os profissionais capacitados nos órgãos governamentais para manejar animais em situações de desastres naturais, como por exemplo, seca, enchente e desmoronamento. A organização entende que oMinistério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento juntamente com os Ministérios da Integração, do Meio Ambiente e da Saúde deve atuar de forma colaborativa e construir em conjunto com a sociedade planos para minimizar os impactos causados, ajudando  pequenos, médios e grandes produtores rurais, tutores de animais e ONGs a protegerem seus animais em casos de acidentes.

As medidas de prevenção incluem desde ações simples, como rota de evacuação de animais em fazendas próximas a rios e áreas de deslizamento, até equipamentos e estruturas apropriadas, como geradores e alimentos especiais que podem ser estocados.

Diante desse cenário, nos dias 24 e 26 de outubro, a Proteção Animal Mundial, em parceria com a Escola de Defesa Civil (EsDEC), ministra no Rio de Janeiro curso de manejo de animais em situações de desastre e auxilia na construção de planos de redução de risco, a fim de minimizar os impactos no bem-estar animal, na saúde pública e na sociedade.

Para Rosângela Ribeiro, gerente de programas veterinários da  Proteção Animal Mundial no Brasil. “A proteção de animais em ações de redução de riscos de desastres só é efetiva quando os que atuam na ponta estão treinados para operacionalizar as diretrizes nacionais. E vice-versa: é no âmbito local que se aprende o que funciona ou não. Sem esse conhecimento para subsidiar os planos, diretrizes nacionais são vazias”, completa a gerente.

Comunidades dependentes de animais são extremamente vulneráveis ​​a desastres naturais, muitos dos países com as maiores densidades de criadores de gado são também aqueles com altos índices de multirrisco. Um estudo abrangente de 78 avaliações de necessidades pós-desastre, cobrindo 48 países em desenvolvimento, constatou que as perdas de colheitas e de gado totalizaram mais de US$ 24 bilhões.

 

 

Similar Articles

Especialistas apostam em aumento de canaviais irrigados em 2019

Especialistas apostam em aumento de canaviais irrigados em 2019 0

A popularização da irrigação por pivô central está fazendo a diferença no que diz respeito

Pesquisadores avaliam crescimento na pecuária leiteira para 2019

Pesquisadores avaliam crescimento na pecuária leiteira para 2019 0

Melhora no cenário econômico e safra recorde de grãos devem fazer este ano ser de

Fechados os números do Valor da Produção de 2018

Fechados os números do Valor da Produção de 2018 0

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) encerrou o ano de 2018 em R$ 569,8

A peste suína clássica pode ser combatida com bom alimentação para os animais

A peste suína clássica pode ser combatida com bom alimentação para os animais 0

O surgimento dos primeiros focos da peste suína no Brasil, em meados do ano passado,

O destaque brasileiro na produção mundial de goiaba e de maracujá-azedo

O destaque brasileiro na produção mundial de goiaba e de maracujá-azedo 0

Foto: Cati Na produção de goiaba, o estado de São Paulo vem se destacando com

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE