Nordeste Rural | Homepage

Fazer silo em saco é barato e ajuda a guardar alimento para o período de seca

🕔22.set 2017

silo de sacoO método facilita a vida do pequeno produtor rural porque é barato e fácil de fazer. O agricultor vai trabalhar com dois tipos de sacos: o de naylon (vendidos em feiras) e os de plástico, de cor preta, tamanho 100 litros, usado comumente para coleta de lixo. A primeira coisa a fazer é recolher a forragem no campo. Dentre as dezenas de plantas da caatinga, algumas apresentam características forrageiras importantes, com alta palatibilidade e valor nutritivo como, por exemplo, a maniçoba, o marmeleiro, feijão de rola, malva branca, jitirana, feijão bravo, favela, leucena, capim buffel, entre tantas outras.

Em seguida é preciso fazer a trituração na forrageira. Deixar secar por alguns dias no terreiro limpo para retirar o excesso de umidade e só então começar a encher os sacos. No processo de enchimento, o saco de plástico é colocado dentro do saco de naylon. É preciso verificar bem se não há furos no saco de plástico pois ele é frágil mas tem um papel importante na vedação e conservação da forragem. A cada camada colocada o material deve ser compactado manualmente.

É bom lembrar que a presença de ar prejudica a fermentação e a boa qualidade da forragem. Quem for trabalhar com a ensilagem em sacos deve pedir ajuda dos amigos para a compactação, necessária para expulsar o ar de dentro do saco. Essa ajuda também serve para a vedação, que deve ser feita com cordão ou barbante. Aproximadamente 40 dias após o fechamento do silo, a ensilagem poderá ser servida aos animais.

O produtor precisa estar atento à toxidade da maniçoba, também conhecida como mandioca brava. Planta nativa da caatinga que rebrota rapidamente após as primeiras chuvas, florando, frutificando e garantindo importante suporte forrageiro para os rebanhos, a maniçoba é uma forragem de alta palatabilidade, sendo a preferida entra as plantas forrageiras da caatinga. O seu valor nutritivo também é dos mais altos entre as plantas nativas, podendo até substituir os concentrados na ração de engorda de bovinos, caprinos e ovinos.

No entanto, a planta verde, em inicio de brotação, apresenta grande teor de ácido cianídrico. Isso significa que se o animal consumir uma grande quantidade da planta ainda verde pode sofrer intoxicação. Por outro lado, quando a maniçoba é exposta para secar, ou fenada, o teor de ácido cianídrico baixa, podendo então ser oferecida aos animais sem nenhum problema.

 

Similar Articles

Um porta-enxerto híbrido ajuda a proteger o plantio de pimentão contra as pragas

Um porta-enxerto híbrido ajuda a proteger o plantio de pimentão contra as pragas 0

É o BRS Acará, porta-enxerto híbrido que tem como público-alvo produtores de pimentão em cultivo

Receita:  Sopa de Cebola

Receita: Sopa de Cebola 0

Esta sopa está no cardápio do restaurante 150 Maksoud, localizado no Hotel Maksoud Plaza, em

Tempo beneficia as lavouras de inverno

Tempo beneficia as lavouras de inverno 0

O tempo no Brasil vai se dividir entre a faixa litorânea do nordeste e o

Reconhecidos os primeiros vinhos brasileiros produzidos na técnica de boas práticas

Reconhecidos os primeiros vinhos brasileiros produzidos na técnica de boas práticas 0

A Vinícola Ravanello, no município de Gramado (RS), é a primeira empresa brasileira a apresentar

A importância e a produção mundial de mamona

A importância e a produção mundial de mamona 0

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO),

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE