Nordeste Rural | Homepage
Advertisement

Extratos naturais são usados para combater o ataque de nematoides nas plantações

🕔18.ago 2017

Extratos naturais 1A Embrapa dispõe de dois novos ativos tecnológicos voltados ao mercado de defensivos agrícolas: uma formulação natural contra nematoides e outra para liberação controlada de produtos. As duas tecnologias, que estão em fases intermediárias de desenvolvimento, utilizam resíduos das cadeias produtivas de biocombustíveis e de celulose como matérias-primas. A Empresa busca, agora, parceiros para as próximas etapas do desenvolvimento, a serem feitas em conjunto com Embrapa Agroenergia e Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.

A primeira tecnologia aproveita o resíduo da extração de óleo de grãos para conseguir extratos capazes de controlar nematoides, especialmente os do gênero Meloidogyne, que ameaçam a produtividade das lavouras no Brasil e no mundo. Estimativas da Sociedade Brasileira de Nematologia apontam que o prejuízo causado por nematoides na agricultura chega a R$ 35 bilhões, quase metade disso só na cultura da soja.

A pesquiadora Vera Polez, da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, explica que o controle de nematoides é difícil e exige a constante renovação dos produtos utilizados para esse fim, já que os organismos acabam desenvolvendo resistência. No Brasil, esse controle é feito principalmente com defensivos químicos, potencialmente causadores de danos ao meio ambiente e à saúde humana e animal.

Os primeiros testes, realizados em laboratório por Polez e pelo pesquisador Thales Lima Rocha, comprovaram que os extratos naturais obtidos pela Embrapa têm efeito nematicida e nematostático. Isso quer dizer que eles são capazes de controlar a população de nematoides ou de paralisá-los de forma a reduzir a infestação e evitar prejuízos à produção.

O pesquisador Clenilson Rodrigues, da Embrapa Agroenergia, explica que a primeira vantagem dos extratos obtidos em comparação aos produtos já disponíveis no mercado é o fato de ter origem vegetal e não petroquímica. “Queremos colocar no campo um produto natural e que seja mais específico. Os nematicidas sintéticos normalmente têm amplo espectro e acabam afetando a microbiota de que as espécies vegetais necessitam para se desenvolver. Com isso, acaba-se eliminando outros organismos que poderiam auxiliar o desenvolvimento da lavoura, além de provocar contaminação de solo, lençol freático, etc”, explica. Polez complementa que há uma tendência mundial de utilizar tecnologias verdes, que causam menor impacto ao meio ambiente. “Existem muitas estratégias para isso e uma delas é usar produtos naturais, explorar a biodiversidade”, pontua.

 

Similar Articles

Receita – Fondue de chocolate com conhaque ou rum

Receita – Fondue de chocolate com conhaque ou rum 0

Chef Iracema Bertoco – Centro Europeu   INGREDIENTES: – 500g de chocolate meio amargo – 300g de creme de

Plano Agrícola e Pecuário deste ano terá um custo menos para os produtores

Plano Agrícola e Pecuário deste ano terá um custo menos para os produtores 0

Com redução de 1,5 ponto percentual nas taxas de juros do crédito rural, o presidente

O vinho do Chile tem uma rainha consagrada eleita no Brasil

O vinho do Chile tem uma rainha consagrada eleita no Brasil 0

É Jéssica Marinzeck, Sommelière que conquistou o voto do público em evento inédito no Brasil

ABQM apresenta regras em vaquejadas que garantem o bem estar dos animais

ABQM apresenta regras em vaquejadas que garantem o bem estar dos animais 0

A vaquejada nordestina está cada vez mais preparada para proteger a saúde dos animais e

Um produtor do sul é campeão nacional de produtividade de soja

Um produtor do sul é campeão nacional de produtividade de soja 0

Foi a 10ª edição do desafio do CESB - Comitê Estratégico Soja Brasil. Este ano,

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE