Nordeste Rural | Homepage

As micotoxinas pode prejudicar a criação de porcos e devem ser combatidas

🕔24.mar 2016

Pigs who are photographed on one of farmsA instabilidade climática dos últimos meses prejudicou o desenvolvimento das lavouras e, por consequência, expôs os grãos à ação das micotoxinas, que representam uma ameaça ao desenvolvimento de aves e suínos, espécies para as quais o milho e soja são as principais fontes de alimento. Entre as alternativas para contornar o cenário, está à aplicação de adsorventes que contribuem para minimizar a queda no desempenho das granjas.

O gerente de Micotoxinas da Alltech, Camilo Beck, afirma que “essas substâncias mudam os parâmetros de desempenho, tais como ganho de peso, consumo, eficiência alimentar, reprodução, e principalmente o sistema imunológico”. Assim, a saúde animal fica comprometida, resultando em mudanças no comportamento e na produção da granja, e eventualmente pode levar à morte. Por isso, a utilização de adsorventes como o Mycosorb A+, elaborado a partir de leveduras e carboidratos funcionais, favorece a adsorver as micotoxinas no trato gastrointestinal dos animais.

“Estratégias de controle de micotoxinas são essenciais na produção de ração e alimento para os limites de contaminação. A gravidade da reação depende da espécie que consome uma determinada micotoxina, sendo que temos 500 tipos. Por exemplo, patos são 200 vezes mais sensíveis à aflatoxina que frangos de corte ou poedeiras. Entretanto, as aves são consideradas menos sensíveis de forma geral que suínos”, explica Beck.

 

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE