Nordeste Rural | Homepage
Advertisement

Aquicultura brasileira ganhar um super-financiamento para desenvolver projeto de produção

🕔10.jul 2018

aquiculturaNo Brasil, um dos maiores desafios em aquicultura está na falta de pacotes tecnológicos para a criação de importantes espécies aquícolas. Por isso, o projeto focará na pesquisa do tambaqui (Colossoma macropomum), tilápia (Oreochromis niloticus), camarão (Litopenaeus vannamei) e bijupirá (Rachycentron canadum), que apresentam grande demanda de mercado ou possuem alto potencial de produtividade.

Este é considerado o maior projeto de pesquisa em aquicultura já realizado no País. O BRS Aqua envolve 22 centros de pesquisa, 50 parceiros públicos e 11 empresas privadas – números que ainda devem aumentar ao longo de sua duração. Trata-se de um marco em investimentos no tema, fruto da parceria entre Embrapa, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a atual Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, ligada à Presidência da República, (SEAP).

O projeto é o terceiro maior já financiado pelo BNDES Funtec – linha de crédito não reembolsável a projetos de pesquisa aplicada, desenvolvimento tecnológico e inovação. Serão R$ 45 milhões financiados pelo banco estatal, R$ 6 milhões da Embrapa e R$ 6 milhões da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, totalizando R$ 57 milhões. A meta, ao fim dos quatro anos de duração, é estabelecer a infraestrutura e a pesquisa científica necessárias para atender demandas do mercado de aquicultura.

“Esse projeto é de grande importância não só para o nosso centro de pesquisa, mas também para a Embrapa inteira e para o Brasil. É a comprovação de que a aquicultura chegou para ficar e tornou-se uma área estratégica no País”, comemora Eric Arthur Bastos Routledge, chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pesca e Aquicultura (TO), unidade que coordena o BRS Aqua.

“Essas espécies se encontram em diferentes patamares tecnológicos e para cada uma delas haverá uma abordagem diferente”, explica a pesquisadora e coordenadora do projeto, Lícia Maria Lundstedt, da Embrapa Pesca e Aquicultura. Segundo ela, enquanto a tilápia possui um pacote tecnológico mais avançado, as pesquisas com o bijupirá ainda são incipientes no País, embora seja uma espécie nativa do litoral brasileiro e tenha potencial para ser uma opção para o desenvolvimento da piscicultura marinha nacional.

Similar Articles

O Brasil pode sofrer novo período de El Niño no clima de todas as regiões

O Brasil pode sofrer novo período de El Niño no clima de todas as regiões 0

Os estudos realizados até agora indicam que há quase 80% de chance de se configurar

Um recorde para as vendas do agronegócio no primeiro semestre do ano

Um recorde para as vendas do agronegócio no primeiro semestre do ano 0

As exportações brasileiras do agronegócio subiram de US$ 56,39 bilhões para US$ 59,2 bilhões entre

Conheça tudo sobre a bebida mais brasileira de todas

Conheça tudo sobre a bebida mais brasileira de todas 0

A denominação de origem da Cachaça é o Brasil. A bebida tem cerca de 500

A importância das vitaminas para a boa formação dos animais

A importância das vitaminas para a boa formação dos animais 0

A vitamina A é essencial para o crescimento, reprodução (espermatogênese), proteção dos epitélios (pele, mucosas

Suplementação de vitaminas para bovinos garante melhor produtividade do rebanho

Suplementação de vitaminas para bovinos garante melhor produtividade do rebanho 0

Suplementação de vitaminas A, D e E, uma das medidas adotadas nas propriedades para manutenção

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE