Nordeste Rural | Homepage

Aprenda a controlar a infestação de plantas daninhas nos plantios de banana

🕔02.mar 2015

BananalA cultura da bananeira é vulnerável à interferência negativa das plantas daninhas, que provoca sérios prejuízos, sobretudo redução de produtividade e da qualidade dos frutos. A adoção de ações de controle durante o período de maior vulnerabilidade, até cinco meses após o plantio das mudas, é fundamental para maximizar a capacidade competitiva da cultura contra a comunidade daninha. É o que recomendam os pesquisadores e técnicos da Embrapa.

A interferência negativa das plantas daninhas sobre a bananeira é responsável por acarretar prejuízos diretos como atraso no crescimento e redução de produtividade, pois são competidoras eficientes por água, por nutrientes e por luz, resultando em perda de 85% na produtividade dos bananais quando nenhuma ação de controle é implementada.

Para o estabelecimento de um programa eficiente de manejo integrado o agricultor deve considerar as características das plantas daninhas, das variedades de bananeira utilizadas e a eficácia dos métodos de controle recomendados. Tal cuidado irá garantir máxima eficácia de controle das plantas daninhas, obtenção de produtividade e lucratividade esperadas com o mínimo de impacto negativo ao ambiente.

A tecnologia baseia-se na identificação e controle das plantas daninhas por meio de cuidados de limpeza dos plantios e de técnicas de combate mecânico, físico e químico. O controle de plantas daninhas pode ser feito inicialmente adotando-se medidas de prevenção tais como: uso de sementes e de mudas isentas de propágulos que são resíduos que podem gerar as plantas daninhas; limpeza rigorosa de máquinas e implementos após utilização em área infestada; limpeza de margens de estradas e ramais que circundam ou atravessam as propriedades; de cercas e uso de esterco curtido ou composto.

Adoção de práticas que possibilitem vantagens competitivas para as plantas cultivadas em detrimento das daninhas. O controle mecânico que é realizado por meio de capina com enxada e por cultivadores de tração animal ou tracionados por trator e roçadeiras. E por último, o controle químico que é realizado por meio da aplicação dos herbicidas.

Também podem ocorrer prejuízos indiretos, pois a interferência pode afetar a qualidade do produto colhido, com redução do tamanho e do número de pencas por cacho e de frutos por penca.  As plantas daninhas que ocorrem em meio às bananeiras podem ainda ser hospedeiras alternativas de pragas e de doenças.

Similar Articles

Produção de algodão na Bahia vai crescer 30% este ano

Produção de algodão na Bahia vai crescer 30% este ano 0

Isso deve acontecer por conta das chuvas bem distribuídas no estado da Bahia e que

Uma curiosa iniciativa: hortas orgânicas nos telhados do Principado de Mônaco

Uma curiosa iniciativa: hortas orgânicas nos telhados do Principado de Mônaco 0

Foto Pinterest A primeira horta orgânica foi criada nos jardins da Fundação Albert II. Em

Tocantins terá uma superprodução de pequi

Tocantins terá uma superprodução de pequi 0

Os produtores de pequi de Tocantins têm um ótimo motivo para comemorar. Devido aos bons

Abertas vagas para contratação de 300 veterinários

Abertas vagas para contratação de 300 veterinários 0

As Inscrições, para os interessados, começam nesta segunda-feira (14). Os inscritos vão fazer prova de

Sertão de Pernambuco ganha Centro de reprodução de caprinos e ovinos

Sertão de Pernambuco ganha Centro de reprodução de caprinos e ovinos 0

O objetivo é promover práticas reprodutivas eficientes e melhoria genética do rebanho no sertão em