Nordeste Rural | Homepage

Aprenda a controlar a infestação de plantas daninhas nos plantios de banana

🕔02.mar 2015

BananalA cultura da bananeira é vulnerável à interferência negativa das plantas daninhas, que provoca sérios prejuízos, sobretudo redução de produtividade e da qualidade dos frutos. A adoção de ações de controle durante o período de maior vulnerabilidade, até cinco meses após o plantio das mudas, é fundamental para maximizar a capacidade competitiva da cultura contra a comunidade daninha. É o que recomendam os pesquisadores e técnicos da Embrapa.

A interferência negativa das plantas daninhas sobre a bananeira é responsável por acarretar prejuízos diretos como atraso no crescimento e redução de produtividade, pois são competidoras eficientes por água, por nutrientes e por luz, resultando em perda de 85% na produtividade dos bananais quando nenhuma ação de controle é implementada.

Para o estabelecimento de um programa eficiente de manejo integrado o agricultor deve considerar as características das plantas daninhas, das variedades de bananeira utilizadas e a eficácia dos métodos de controle recomendados. Tal cuidado irá garantir máxima eficácia de controle das plantas daninhas, obtenção de produtividade e lucratividade esperadas com o mínimo de impacto negativo ao ambiente.

A tecnologia baseia-se na identificação e controle das plantas daninhas por meio de cuidados de limpeza dos plantios e de técnicas de combate mecânico, físico e químico. O controle de plantas daninhas pode ser feito inicialmente adotando-se medidas de prevenção tais como: uso de sementes e de mudas isentas de propágulos que são resíduos que podem gerar as plantas daninhas; limpeza rigorosa de máquinas e implementos após utilização em área infestada; limpeza de margens de estradas e ramais que circundam ou atravessam as propriedades; de cercas e uso de esterco curtido ou composto.

Adoção de práticas que possibilitem vantagens competitivas para as plantas cultivadas em detrimento das daninhas. O controle mecânico que é realizado por meio de capina com enxada e por cultivadores de tração animal ou tracionados por trator e roçadeiras. E por último, o controle químico que é realizado por meio da aplicação dos herbicidas.

Também podem ocorrer prejuízos indiretos, pois a interferência pode afetar a qualidade do produto colhido, com redução do tamanho e do número de pencas por cacho e de frutos por penca.  As plantas daninhas que ocorrem em meio às bananeiras podem ainda ser hospedeiras alternativas de pragas e de doenças.

Similar Articles

Organização Mundial de Saúde Animal deve reconhecer o Brasil livre de aftosa com vacina

Organização Mundial de Saúde Animal deve reconhecer o Brasil livre de aftosa com vacina 0

O Comitê Científico da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) recomendou que o Brasil seja

Começa a fiscalização para venda do pescado na Semana Santa

Começa a fiscalização para venda do pescado na Semana Santa 0

O trabalho dos fiscais tem a orientação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e

Árvore na janela

Árvore na janela 0

A imagem inédita se repetiu. Mais uma árvore crescendo em lugar inapropriado. Desta vez foi

Adubo verde in natura com aproveitamento de uma leguminosa do cerrado

Adubo verde in natura com aproveitamento de uma leguminosa do cerrado 0

A camaratuba – cratylia argente – tem como uma de suas características a fixação biológica

Atenção para os donos de granjas de avicultura

Atenção para os donos de granjas de avicultura 0

Para facilitar o controle sanitário das granjas de todo o Brasil, o Ministério da Agricultura,

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE