Nordeste Rural | Homepage

A qualidade do pescado depende do manejo desde a pesca até a preparação para venda

🕔27.jul 2015

pescadoPara garantir a qualidade do pescado, o piscicultor deve ter em mente que são necessárias práticas que levem em consideração o binômio tempo e temperatura, grandes responsáveis por acelerar os processos de decomposição do pescado e que podem representar sério risco à saúde dos consumidores. O pescado é um alimento altamente perecível e sensível à deterioração.

A manipulação do pescado, seja durante a despesca ou captura quanto no processo de estocagem, manipulação ou comercialização, deve ser realizada sob cuidados extras e adotando-se boas práticas durante todo o processamento. Essa tecnologia envolve, basicamente, a criação de condições desfavoráveis ao desenvolvimento bacteriano e à ação de enzimas deteriorantes no pescado.

O processamento tecnológico do pescado fresco eviscerado envolve as seguintes etapas: captura ou despesca, insensibilização, sangria, lavagem superficial, evisceração, lavagem final, embalagem e expedição. Os pesquisadores da Embrapa Pesca e Aquicultura, em Palmas, Patrícia Mochiaro e o Leandro Kanamaru, destacam alguns cuidados que o produtor deve ter para garantir a qualidade do pescado, sobretudo durante a despesca, a armazenagem e o transporte.

É importante cuidados depois da despesca, a primeira providência é colocar o pescado, imediatamente, no gelo. “Assim ele vai demorar mais tempo para estragar”, explica Leandro Kanamaru. E não pode ser qualquer gelo: “Primeiro, ele precisa ser feito com água potável. Se for feito com água suja, como a de um rio, por exemplo, pra fazer o gelo, bactérias poderão contaminar o peixe. Além disso, o gelo não pode ser muito grande ou apresentar muitas pontas pois vai furar o peixe e estragar o produto. O ideal é que ele seja pequeno e triturado”

O manejo adequado do pescado envolve, ainda, outros aspectos presentes durante o beneficiamento dessa matéria-prima, tais como os cuidados durante o transporte e abate do pescado e a capacitação dos funcionários responsáveis pela evisceração, por exemplo. “O produtor tem que tomar cuidado com duas coisas fundamentais: manter tanto a limpeza do veículo usado para o transporte quanto a temperatura baixa do peixe”, resume a pesquisadora Patrícia Mochiaro.

Similar Articles

O crescimento da produção de peixes no Brasil

O crescimento da produção de peixes no Brasil 0

Um levantamento estatístico feito pela Associação Brasileira de Piscicultura, publicado no Anuário Brasileiro de Piscicultura

Agronegócio brasileiro exporta mais 23,7% em setembro

Agronegócio brasileiro exporta mais 23,7% em setembro 0

As exportações brasileiras do agronegócio aumentaram 23,7% em setembro, em relação ao mesmo mês de

Empresários do agronegócio brasileiro podem participar de rodada de negócios com  investidores dos Emirados Árabes

Empresários do agronegócio brasileiro podem participar de rodada de negócios com investidores dos Emirados Árabes 0

Estão abertas as inscrições para o Brazil-United Arab Emirates Agribusiness Investor Road Show, evento que

Cientistas descobrem substâncias anticancerígenas na graviola

Cientistas descobrem substâncias anticancerígenas na graviola 0

                          São as acetogeninas anonáceas, substâncias bioativas identificadas na gravioleira que vêm chamando a atenção dos

Receita – Estrogonofe de carne

Receita – Estrogonofe de carne 0

Foto Seleção Gourmet INGREDIENTES PARA O ESTROGONOFE 500g de filé mignon 250g de cogumelos frescos 750g de creme

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE