Nordeste Rural | Homepage
Advertisement
[ X ]

A importância da macaúba na produção de óleo no pais

🕔12.fev 2019

macaúba no cachoA macaúba apresenta ampla dispersão no território brasileiro, especialmente nas áreas de Cerrado e Pantanal, além de algumas do Semiárido, e pelo seu potencial para a produção de grandes quantidades de óleo por unidade de área, além da possibilidade de utilização em sistemas de integração lavoura, pecuária e floresta (ILPF). Ela pode ocupar áreas de produção que são inadequadas para a palma de óleo (dendê), atualmente a principal fonte de óleo vegetal no mundo, seguida pela soja.

Pesquisas sobre o potencial desses pequenos cocos revelam que eles são fonte de óleo que serve de matéria-prima para a produção de biodiesel e de outros produtos. Dela, praticamente tudo se aproveita: serve de matéria-prima para cosméticos e fármacos; os frutos são comestíveis e a polpa empregada na confecção de produtos de pastelaria e sorvetes; o endocarpo do fruto (parte dura do coco) é usado para a produção de carvão ativado utilizado em filtros (também pode ser empregado em siderurgia); a amêndoa é comestível e não tem compostos tóxicos.

A produtividade potencial por área da macaúba assemelha-se à do dendê, podendo chegar a mais de quatro mil litros de óleo e de 15 a 20 toneladas de frutos por hectare. No entanto, a exploração da macaúba no Brasil e Paraguai ainda está centrada no extrativismo. O Paraguai diferencia-se por já ter um parque industrial em grande escala que processa a macaúba há mais de 80 anos. Atualmente são processados em torno de cinco milhões de toneladas de fruto no Paraguai, que resultam em 2,5 t de óleo de amêndoa e meia tonelada de óleo de polpa. O baixo rendimento em óleo de polpa se deve à forma de colheita, por retirar os cachos com frutos ainda verdes, e ao processamento rudimentar. Com manejo adequado e industrialização, os pesquisadores estimam que poderia se obter mais de seis toneladas de óleo de polpa.

Práticas adequadas de preservação da espécie são fundamentais para garantir a variabilidade genética, característica fundamental para programas de melhoramento visando a domesticação e obtenção de cultivares comerciais.

A Embrapa Agroenergia, em parceria com outras Unidades da Empresa e instituições privadas, desenvolve estudos em melhoramento genético, manejo e tratos culturais e processos industriais de conversão de óleos em produtos de interesse econômico para consolidar a macaúba como uma das matérias-primas na cadeia produtiva do biodiesel. Também mantém Bancos Ativos de Germoplasma para a conservação da variabilidade genética da espécie.

 

 

Similar Articles

Últimos preparativos e lançamento da 85ª ExpoZebu

Últimos preparativos e lançamento da 85ª ExpoZebu 0

A Feira, uma das mais tradicionais do agronegócio brasileiro vai ser realizada entre os dias

Aprenda a fazer sua própria horta caseira e agroecológica

Aprenda a fazer sua própria horta caseira e agroecológica 0

As orientações iniciais são da agroecologista e professora Alessandra Nahra. Ela dá cinco dicas de

O semiárido ganha um zoneamento agrícola para melhorar o plantio da palma forrageira

O semiárido ganha um zoneamento agrícola para melhorar o plantio da palma forrageira 0

A palma forrageira é uma das espécies de maior relevância para a produção agropecuária no

Chega ao mercado dois novos híbridos de milho

Chega ao mercado dois novos híbridos de milho 0

Os lançamentos são resultado de melhoramento genético e uso de biotecnologia com objetivo de aumentar

Governo libera portaria que vai beneficiar mais de 230 mil famílias com o Garantia Safra

Governo libera portaria que vai beneficiar mais de 230 mil famílias com o Garantia Safra 0

O benefício tem como objetivo garantir condições mínimas de sobrevivência aos agricultores familiares de municípios

CITEquin - Hospital do Cavalo, Paudalho-PE