Nordeste Rural | Homepage

A hortaliça ora-pro-nóbis ganha preferência na culinária e melhora a renda do agricultor

🕔18.mai 2017

ora-pro-nobresTambém conhecida por lobrobó ou pereskia, a ora-pro-nóbis é considerada uma planta alimentícia não convencional (PANC) e apresenta um relevante teor de proteína – trata-se de um alimento de origem vegetal com cerca de três gramas de proteína a cada 100 gramas de folhas. “Embora esse valor seja equivalente em outras hortaliças como rúcula e agrião e também em folhas de coloração verde-escura, a qualidade da proteína da ora-pro-nóbis é melhor porque apresenta mais complexidade e aminoácidos essenciais, ou seja, tem maior valor biológico para o organismo porque contém aminoácidos essenciais em quantidade e proporções adequadas”, explica a pesquisadora Neide Botrel, da Embrapa.

Por ser uma planta da família dos cactos, a ora-pro-nóbis cresce como um arbusto, com espinhos agudos distribuídos ao longo dos caules e ramos, o que dificulta o manuseio pelos agricultores. “No geral, os produtores não consideram estabelecer lavouras de ora-pro-nóbis pela dificuldade de lidar com a planta espinhosa”, contextualiza o pesquisador, ao comentar que a planta, apesar de muito nutritiva, costuma ser utilizada somente como cerca-viva ou, em regiões específicas, como ingrediente de receitas tradicionais em cidades históricas de Minas Gerais, como Diamantina, Tiradentes e Sabará.

Agora, pequenos produtores brasileiros já podem contar com um sistema de produção próprio para ora-pro-nóbis, que traz facilidade nos tratos culturais e permite uma colheita escalonada ao longo do tempo. A proposta do sistema é fazer o plantio adensado – para garantir maior produtividade por área – e programar colheitas sucessivas para manter controlada a arquitetura da planta e evitar emaranhados de galhos e espinhos. Os experimentos foram conduzidos nos campos da Embrapa Hortaliças, em Brasília (DF).

A hortaliça vem ganhando cada vez mais atenção de restaurantes e chefes de cozinha no eixo Rio-São Paulo, e com isso há um aumento efetivo da procura pelo produto. Por isso, o sistema de plantio adensado, que permite até cinco mil plantas por hectare, com colheitas sucessivas que permite a condução dessa espécie de forma mais simples e eficaz pelo produtor rural. O espaçamento praticado anteriormente resultava em cerca de 1.250 plantas por hectare. Outra vantagem do novo sistema é que ele dispensa a necessidade de tutoramento da planta para colheita das folhas, já que prevê a poda de hastes.

“A ora-pro-nóbis é muito rústica e com bom potencial produtivo, que se apresenta como uma opção de diversificação de renda e de cultivo especialmente para o agricultor familiar, já que a produção em larga escala é dificultada pelas próprias características da planta, que exige intensa mão de obra”, sugere o pesquisador Nuno Madeira.

A ora-pro-nóbis pode atingir até quatro metros de altura, por isso, as colheitas sucessivas, a cada seis ou dez semanas, dependendo das condições climáticas, funcionam como podas que, além de facilitar o manejo da planta espinhosa e garantir ergonomia para o produtor, estimulam o desenvolvimento vegetativo e a produção comercial de folhas.

Segundo cálculos feitos nos experimentos, a produção pode atingir até dois quilos de folhas por planta a cada corte, com quatro a oito cortes anuais – o que equivale de 20 a 40 toneladas por hectare ao ano. Madeira destaca que a planta pode se manter produtiva por até dez anos, mesmo com pressão por alta produtividade, desde que sejam feitas adubações periódicas com matéria orgânica.

 

 

Similar Articles

Orientações que ajudam o agricultor a gerenciar bem sua pequena propriedade

Orientações que ajudam o agricultor a gerenciar bem sua pequena propriedade 0

O gerenciamento financeiro da pequena propriedade envolve o acompanhamento da entrada e saída de recursos

Apriscos bem planejados evitam doenças e ataques de animais ao rebanho de caprinos e ovinos

Apriscos bem planejados evitam doenças e ataques de animais ao rebanho de caprinos e ovinos 0

No sertão nordestino é possível construir instalações para caprinos e ovinos que evitem a proliferação

Uma raça robusta e resistente ameaçada de extinção

Uma raça robusta e resistente ameaçada de extinção 0

É a raça Tucura, animais que se adaptaram muito bem às condições do Pantanal, suportando

Pequenas propriedades podem usar técnicas fáceis de aumentar renda com o milho

Pequenas propriedades podem usar técnicas fáceis de aumentar renda com o milho 0

São duas técnicas simples e de fácil aplicação que otimizam a produção em pequenas lavouras

Novas técnicas de cultivo podem incluir a macaúba como fonte de renda para o agricultor

Novas técnicas de cultivo podem incluir a macaúba como fonte de renda para o agricultor 0

Produzir agroenergia e alimentos na mesma área pode ser um negócio lucrativo e viável. É

http://www.flashppt.com/images/tangramone.swf